Após 300 anos, data do aparecimento de Nossa Senhora ainda é incerta

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2016 08h16
Aparecida- SP- Brasil- 01/10/2016- Movimento de fiéis no Santuário Nacional de Aparecida. Foto: Cesar Itiberê/ Fotos PúblicasRomeiros devem lotar a cidade de Aparecida nesta quarta-feira (12/1)

Símbolo maior da fé católica no Brasil, Nossa Senhora Aparecida guarda muitas curiosidades em quase 300 anos de história. A imagem encontrada pelos pescadores Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso em outubro de 1717 passou por algumas modificações.

A cor da peça feita de barro e que mede 40 centímetros nem sempre foi escura como é conhecida atualmente.

A historiadora Tereza Pasin contou porque a imagem de Aparecida mudou de tonalidade ao longo do tempo. “Ela ficou muito perto de velas. Aí diferiu a cor que é hoje. Ela era mais clarinha, era cor de um barro mesmo. Velas e muito tempo dentro da água”, disse.

A historiadora Tereza Pasin explicou que não há registros de que a imagem tenha sido encontrada em 12 de outubro, já que a chegada do governador à Guaratinguetá, o que teria motivado a pescaria, ocorreu cinco dias depois.

“Ele chegou na Vila de Guaratinguetá por volta do meio dia. Dia 17 de outubro. isso é um diário do conde. Há uma controvérsia. Não encontrei nenhuma data com o registro de 12 de outubro”, afirmou.

A festa de Nossa Senhora Aparecida só passou a ser no 12 de outubro a partir da década de 50 e se tornou feriado nacional em 1980.

Entre os muitos milagres atribuídos à santa, um deles foi concedido à Princesa Isabel. “A princesa veio aqui especialmente e fez promessa à Nossa Senhora. Ela queria ter filhos. Após a estada da princesa em Aparecida ela conseguiu três filhos homens”, contou.

Os ornamentos que enfeitam a imagem de Nossa Senhora Aparecida hoje, o manto azul e a coroa, foram dados em agradecimento pela Princesa.

A peça original de Nossa Senhora foi alvo de um grave atentado em 1978. O símbolo foi quebrado em mais de 150 pedaços por um jovem que tinha problemas psiquiátricos.

“Deu uma chuva muito forte na cidade nessa tarde e teve início a missa, às 20h. E acabou a força de uma hora para outra. no momento que a força acabou, o jovem bateu no vidro e tirou a santa”, disse.

A imagem foi totalmente restaurada pela artista plástica Maria Helena Chartuni, que à época, trabalhava no Masp.

Desde então, a peça original permanece em uma redoma de vidro blindado a quatro metros de altura na Basílica Nacional.

A partir de hoje, começa a contagem regressiva para a grande festa dos 300 anos da aparição da imagem no Rio Paraíba.

Apesar da promessa feita em 2013 quando visitou Aparecida pela primeira vez, a presença do Papa Francisco ainda é incerta.

Confira a entrevista do repórter Fernando Martins com dom Odilo Scherer nesta quarta-feira (12):

*Informações do repórter Anderson Costa