Após críticas sobre debate formado só por homens, professora recebe comentários agressivos em rede social

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2017 08h06
debate masculino homens fgv - rep

O evento era um painel sobre Direito Tributário em uma das mais respeitadas universidades de Direito do País: a da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo. O painel era formado exclusivamente por homens.

Por isso, uma professora postou em seu Facebook uma foto da mesa principal do evento com a legenda em que dizia: “ Excelente visão [masculina] da Reforma Tributária“.

Na sequência, o também professor da Fundação Getúlio Vargas, Eurico Marcos Diniz de Santis reconheceu, em parte, o problema da falta de representatividade, mas, a partir daí, o professor de Direito Tributário chamou para a conversa uma terceira pessoa.

Identificada como Ratsko Kovacevic. Ao convocar o amigo para o fórum de discussões, o acadêmico afirma: “estamos sentindo falta da sua delicadeza e polidez para lidar com um assunto assim tão delicado”.

Ao entrar na conversa, o perfil de Ratsko Kovacevic dispara uma série de ataques misóginos.

E, por causa das ofensas feitas pelo convidado do professor para o debate, o Centro Acadêmico do Direito da GV e o Coletivo Feminista da faculdade cobraram uma posição da universidade.

A faculdade convocou uma reunião extraordinária do Comitê de Diversidade para ouvir os envolvidos e apurar os fatos.

Uma nota emitida pela instituição afirma que o espaço acadêmico deve sempre ser marcado por ampla liberdade de expressão para que possa propiciar um debate de ideias.

O documento diz ainda que essa liberdade não significa, porém, que formas abusivas de discurso e postura não possam ser objeto de crítica e eventual repreensão.

*Informações da repórter Helen Braun