Após fim de sequestro, Ecclestone diz que não pagaria por resgate de sogra

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2016 08h52
Bernie Ecclestone não se mostrou a favor da presença de mulheres pilotando carros de Fórmula 1

O chefão da Fórmula-1 Bernie Ecclestone afirmou que não pagaria nenhum centavo por sua sogra Aparecida Palmeira, que foi sequestrada. Ela é mãe da brasileira Fabiana Flosi, de 38 anos com quem o bilionário é casado.

Segundo o jornal “Daily Mail”, os sequestradores ameaçaram decapitar a cabeça de Aparecida e enviar para a família embalada numa sacola plástica de mercado. A mensagem chegou aos parentes através de um e-mail enviado com um pedido de resgate de £ 28 milhões, o equivalente a mais de R$ 117 milhões.

Ecclestone brincou e disse que não desembolsaria nada e ainda acrescentou que todos os seus amigos sabem que não pagaria um centavo sequer pela sogra.

Aparecida Schunck Flosi Palmeira, de 67 anos, foi libertada de um cativeiro no município de Cotia, na Grande São Paulo, no dia 28 de julho. Ela havia sido sequestrada de dentro de casa no dia 22 de julho no bairro de Interlagos, em São Paulo.

Os criminosos vinham mantendo contato com a família para negociar o resgate e foram rastreados através de mensagens de celular. O cativeiro, foi localizado por policiais da Divisão Antissequestro do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

O chefe da Fórmula-1 conheceu a mulher Fabiana no Brasil, em 2009, nos preparativos para a corrida de Interlagos. Nos últimos anos Bernie Ecclestone foi acusado de subornar o banqueiro alemão Gerhard Gribkowsky condenado a oito anos e meio de prisão já o mandatário do automobilismo fez um acordo de US$ 100 milhões e encerrou o caso.

*Informações do repórter Daniel Lian