Após perseguição, homens armados com fuzis invadem casa e mantêm refém em SP

  • Por Jovem Pan
  • 18/11/2016 07h54
homens armados com fuzis invadem casa e mantêm refém na zona oeste

Ao menos 13 homens armados com fuzis entraram em um imóvel na Rua Padre João da Cunha, no Jardim João 23, na região da Raposo Tavares, zona oeste de São Paulo, na manhã desta sexta-feira (18). Eles mantiveram um mulher como refém e foram presos pela polícia.

Os criminosos tentavam furtar uma agência bancária na Granja Viana, em Cotia, e na fuga o carro roubado foi identificado por um radar inteligente e a Polícia Militar deu início a perseguição.

Na perseguição policial, dois policiais foram baleados pelos suspeitos. Um na mão e outro na perna.

Pouco antes das 07h os primeiros suspeitos começaram a deixar a casa. Quatro criminosos também foram baleados e tinham ferimentos na perna.

Segundo a Assessoria de Imprensa do DEIC, a ocorrência relacionada a explosão do caixa eletrônico na região de Cotia e as prisões dos envolvidos no caso da refém têm duas situações.

“Primeiro a explosão, fuga e troca de tiros com Pms. A quadrilha fugiu. Não invadiram a casa durante essa fuga. Isso porque conseguiram escapar. A invasão aconteceu quando policiais da 5ª Patrimônio (Delegacia de Investigações sobre Roubo a Banco) realizavam o cerco para prender a quadrilha. Os bandidos eram investigados havia três meses. Os policiais conseguiram monitorar o bando e descobriram onde seria o ponto de encontro após o ataque. A quadrilha percebeu o cerco e se refugiou na residência”, diz nota da assessoria.

A vítima

A dona de casa feita refém, Luzimar Bento, contou ao repórter Tiago Muniz como foi a ação dos criminosos.

Segundo ela, os homens arrombaram sua porta dos fundos da casa e ela, tentou fugir para “lutar pela sua vida”. Escondeu-se no quarto, trancou a porta e colocou um móvel atrás para impedir a entrada deles, mas não adiantou. “Eles colocaram uma arma na minha cabeça e me falaram que se eu não fizesse o que eles queriam e se os policiais não se afastassem eles iam me matar”, disse em tom assustado.

Confira as informações do repórter Tiago Muniz: