Aposentadoria em países desenvolvidos precisa subir para 70 anos, aponta estudo

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 26/05/2017 10h47
Imagem do Parlamento britânico e do Big Ben

Não é só o Brasil que precisa rever urgentemente seu sistema de aposentadoria com a reforma da Previdência. Os países ricos e desenvolvidos, como o Reino Unido, também devem se mexer agora para evitar uma crise generalizada, com efeitos tão nocivos para o equilíbrio do planeta quanto às mudanças climáticas, por exemplo.

O alerta foi feito por um relatório do Fórum Econômico Mundial. O estudo indica que a idade mínima para aposentadoria em países desenvolvidos precisa subir para 70 anos até a metade desse século.

O fórum calcula que o déficit dos seis maiores sistemas de pensão do mundo somados vai quadruplicar até 2050, chegando a 224 trilhões de dólares. O cálculo leva em conta que a população idosa no mundo, com mais de 65 anos, vai passar de 600 milhões, atualmente, para 2,1 bilhões de pessoas em 2050.

Logo, o que está sendo economizado hoje não vai pagar a conta no futuro. E por isso a comparação com as mudanças climáticas. Porque o comportamento da humanidade nos dias atuais pode ter efeitos devastadores para as próximas gerações.

Se adicionarmos ao déficit do sistema previdenciário países como China e Índia, sustenta o Fórum Econômico Mundial, em 2050 o saldo no vermelho será quatro vezes maior que a soma da economia global atualmente.

Aqui no Reino Unido a expectativa de vida é cada vez maior e as revisões na idade mínima para aposentadoria são constantes. Atualmente, ela está em 65 anos para homens e pouco menos de 64 para mulheres. No ano que vem a idade será igualada para ambos os sexos, e, 65 anos; em 2028 será elevada para 67 anos, e em 2046 para 68 anos.

Mas, segundo o Fórum, é preciso avançar mais. Metade das crianças nascidas em 2007 vai viver até os 103 anos de idade. Logo, não é difícil concluir que realmente a conta não vai bater.