Associação quer cancelar fechamento da Avenida Paulista para carros aos domingos

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2015 12h15
SÃO PAULO,SP,18.10.2015:FRIO-SP - Paulistano curte lazer na Avenida Paulista, em São Paulo (SP), na tarde deste domingo (18), com temperatura amena na casa dos 19ºC. (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress)Família paulistana curte lazer na Avenida Paulista na tarde deste domingo (18)

 Associação Paulista Viva planeja entrar na Justiça contra a Prefeitura de São Paulo por causa do fechamento da avenida aos domingos. Na quinta-feira (22/10), representantes de vários segmentos que fazem parte do cotidiano da Paulista se reuniram para fazer um balanço da interdição da via. Eles negam terem sido ouvidos pelo prefeito Fernando Haddad e fazem coro para que a medida seja cancelada.

A presidente da entidade, Vilma Peramezza, diz que estuda entrar com uma ação civil pública contra a Prefeitura para tentar impedir o fechamento: “Nós estamos consultando os advogados para ver quais medidas legais são possíveis. Essa medida está invadindo os direitos de moradores, comerciantes e das atividades de cultura, como por exemplo, os cinemas. Nós somos procurados, somos os representantes dessas forças”. Ela ainda destaca que a Paulista é a via mais inclusiva da cidade, mas que isso também precisa contemplar os motoristas.

O comandante do 11º Batalhão da Polícia Militar, o tenente-coronel André Luiz, afirma que a corporação não foi comunicada sobre o fechamento: “Nós ficamos sabendo através da imprensa e das redes sociais que haveria o fechamento da Paulista. Por conta disso, tivemos que improvisar um reforço de policiamento para que pudéssemos dar um mínimo de segurança para as pessoas que vieram no domingo”.

O representante de um cinema na Paulista, que preferiu não se identificar, diz que a queda no faturamento foi de 50% no domingo. Já o proprietário de uma rede de estacionamentos na região, Cid Mesquita, aponta que a interdição derrubou o movimento: “A gente serve para captar a demanda de todos os polos geradores, que são os restaurantes, hotéis, cinemas, livrarias, etc, e isso está sendo afetado também. Então se a gente teve uma queda de 56% no movimento, provavelmente eles estão com uma queda muito maior, já que isso pulveriza por todo o serviço que tem ao longo da Avenida Paulista”.

A CET implantou um esquema para os frequentadores do Club Homs, mas o presidente da instituição afirma que o fechamento poderá causar prejuízos. Apesar dos problemas, a Avenida Paulista será interditada novamente para a circulação de carros no domingo (25/10) a partir das 13 horas, um horário especial por causa do ENEM. O fechamento normal aos domingos é das 9 às 17 horas.

Confira o áudio com comentários de Joseval Peixoto e Marco Antônio Villa.