Audiência de conciliação entre Lula e Villa acaba sem acordo; professor é ovacionado na saída do Fórum

  • Por Jovem Pan
  • 20/11/2015 14h09
Lula e Villa

Termina sem acordo a audiência de conciliação do processo movido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o comentarista Marco Antonio Villa, da Jovem Pan.

A queixa por injúria, calúnia e difamação foi motivada por um comentário de Villa sobre Lula. O processo corre no Fórum Criminal Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda, Zona Oeste de São Paulo.

O ex-presidente entrou por uma porta dos fundos do complexo, sem passar por manifestantes que estavam no local. A audiência durou cerca de 2 minutos. O juiz André Carvalho e Silva de Almeida, da 30ª Vara, questionou o ex-presidente se haveria acordo e, como a resposta foi negativa, o magistrado deu por encerrada a audiência.

Villa foi ovacionado por dezenas de populares que o aguardavam na saída, além de receber diversos pedidos para tirar selfies e conceder autógrafos. Emocionado com o apoio recebido, o comentarista da Jovem Pan apontou que sua manifestação foi pela liberdade de opinião: “Eu disse ao juiz que a minha manifestação foi pela liberdade de opinião, garantida pela lei e pela constituição, e que eu manifestava a minha indignação e a de milhões de brasileiros pelo maior desvio de recursos públicos da história do mundo”.

O comentarista também agradeceu a recepção e apoio do público: “Fiquei muito satisfeito. Meu agradecimento eterno às pessoas, que tinham dia de trabalho, que vieram de outros estados, aos movimentos. Não vou esquecer. Isso faz com que eu seja cada vez mais responsável por aquilo que falo, que faço e eu sinto que o que eu falo não representa um pequeno grupo de brasileiros, mas a maioria de brasileiros e brasileiras de bem que querem um outro Brasil, limpo, ético e decente. Um Brasil que respeite a lei e a constituição. Como eu sempre digo, nós adoramos as leis e a constituição, quem não gosta é quem fez o mensalão e o petrolão”.

Será necessário aguardar a manifestação do juiz sobre o próximo encaminhamento do processo. Por fim, Villa destaca: “Eu confio na Justiça brasileira. Ela vai apreciar essa questão, vai dar um encaminhamento e eu respeitarei a decisão”.

Não seria possível realizar a audiência sem a presença do ex-presidente Lula, que é o querelante. Ele é obrigado a comparecer para não ocorrer a extinção do processo por perempção, ou seja, não dar seguimento por falta de diligência da parte que entrou com a ação.