Com agenda lotada, Falcão admite dilema e define prazo para decidir aposentadoria

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2018 15h14
Ricardo Artifon/CBFSMaior jogador de futsal de todos os tempos, Falcão ainda não decidiu se vai pendurar as chuteiras no fim do ano

O maior jogador de futsal de todos os tempos ainda não sabe se irá, mesmo, se aposentar no fim do ano. Em entrevista exclusiva ao repórter Raphael Thebas, da Rádio Jovem Pan, Falcão admitiu que tem vivido um enorme dilema nos últimos dias a respeito do seu futuro. Aos 41 anos, o craque ainda não decidiu se pendura as chuteiras em dezembro ou se prolonga a carreira por mais uma temporada.

A única certeza que Falcão tem no momento é a de que uma decisão será tomada em pelo menos 30 dias.

“Eu coloquei uma meta para mim mesmo… Até a primeira quinzena de outubro eu quero ter essa decisão, porque a temporada acaba no começo de dezembro”, revelou o jogador do Sorocaba e da Seleção Brasileira. “Como é uma decisão muito séria, tenho que saber se é o momento… Se tem de ser agora ou se vai ser no ano que vem”, acrescentou.

O que tem pesado para Falcão é a agenda. Multicampeão no futsal e envolvido em inúmeras ações publicitárias, o craque tem sofrido para se dividir entre compromissos comerciais e os jogos. A dificuldade de conciliar tudo, segundo o jogador, o faz pender para a aposentadoria.

“Eu estou tendo um lado comercial e pessoal muito pesado, que atrapalha o profissional, e o profissional também tem atrapalhado o comercial e pessoal. Então, não dá para fazer nada. Eu estou trabalhando minuciosamente com a minha equipe, o meu patrocinador, a Seleção, para ver se dá para conciliar no ano que vem. Se eu continuar jogando, é por mais um ano. A outra opção é parar no fim desse ano. Eu tenho de tomar muito cuidado para tomar a decisão correta”, finalizou.

“Ex-aposentado” da Seleção Brasileira, Falcão joga e é gestor do Magnus Sorocaba, time do interior de São Paulo que ganhou as duas últimas edições do Mundial de Clubes. Consolidado nas quadras e com rápida, e polêmica, passagem pelo futebol de campo, o ala faturou duas Copas do Mundo, tornou-se o maior artilheiro da história de todas as seleções de esportes ligados ao futebol e foi eleito por quatro vezes o melhor jogador do mundo no futsal. Virou, definitivamente, uma lenda.