Com quase 10 títulos e nenhuma expulsão, Ralf nega ser ídolo, mas revela sonho: Aposentar-se no Corinthians

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2019 11h00
Leco Viana/Estadão ConteúdoTricampeão paulista, Ralf já conquistou oito títulos como jogador do Corinthians

Três Campeonatos Paulistas, dois Campeonatos Brasileiros, uma Copa Libertadores da América, uma Recopa Sul-Americana e um Mundial de Clubes. Já são oito os títulos de Ralf com a camisa do Corinthians. Aos 34 anos, o volante, que nunca levou um cartão vermelho sequer em mais de 350 jogos pelo clube alvinegro, segue em alta. Titular do time comandado por Fábio Carille, foi, no último domingo, um dos melhores jogadores em campo na final do Campeonato Paulista, diante do São Paulo, em Itaquera.

Ao fim da partida, Ralf, que se destacou com desarmes e até assistência para o gol marcado por Danilo Avelar, deu mais uma volta olímpica e teve o nome gritado pelas mais de 45 mil pessoas que lotaram a Arena Corinthians. Prova de que ostenta a condição de ídolo? Não necessariamente. Em entrevista exclusiva a André Ranieri, da Rádio Jovem Pan, o “Pitbull”, como é conhecido, surpreendeu e negou se considerar uma referência do Timão.

“Falar de ser ídolo é muito difícil”, afirmou. “Como muitos jogadores que dispensam comentários passaram pelo Corinthians, é de uma satisfação indescritível ser chamado dessa forma. Mas eu não me considerado ídolo, não. Sei que conquistei títulos importantes no Corinthians, mas tem jogadores que são mais ídolos do que eu por aqui”, acrescentou.

No último domingo, dia em que ergueu o seu oitavo troféu com a camisa alvinegra, Ralf foi elogiadíssimo por Fábio Carille. O treinador afirmou ser “suspeito” para falar do volante e destacou que “do mesmo jeito que ele treina hoje, ele treinava há dez anos”. Além disso, ressaltou que Ralf “ainda vai jogar por muitos anos” e que, futuramente, pode até ser utilizado como zagueiro.

O volante se surpreendeu com as declarações do comandante e, com contrato até o fim do ano, revelou um sonho: aposentar-se no clube que o levou até a Seleção Brasileira. “Encerrar a carreira no Corinthians é o meu sonho, o meu desejo”, afirmou. “Às vezes, a gente planeja uma coisa, e os planos de Deus são outros. Mas, se eu puder me aposentar aqui, vai ser o melhor desfecho possível para a minha carreira”, finalizou.

As conversas para a renovação de Ralf estão adiantadas. A tendência é de que o vínculo seja prorrogado em breve – para a alegria da Fiel e, é claro, do jogador.