Casos de dengue crescem 16,5% em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 24/02/2016 12h59
O Ministério da Saúde confirmou a terceira morte provocada pelo zika em adultos no Brasil. Foto: Fernanda Carvalho/ FotosP PúblicasAedes aegypti

 Nas quatro primeiras semanas de 2016, os casos de dengue cresceram 16,5% na capital paulista. Um balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde aponta que foram registrados 827 casos em janeiro contra 710 no mesmo período do ano passado.

A Zona Leste da cidade segue com o maior número de registros da doença e o distrito de Lajeado, na região de Guaianazes, lidera com 68 casos. Em seguida, vem a Penha, Jardim São Luiz na Zona Sul, Parque do Carmo e Itaquera, também na Zona Leste.

A Secretaria de Saúde acredita que a maior incidência da dengue na região está ligada ao fato de haver o maior número de pessoas expostas, além da crise hídrica no sistema Alto Tietê, que abastece o trecho leste da cidade. Em 2014 e 2015, as regiões da capital com mais casos foram a Zona Oeste e a Zona Norte respectivamente.

Apesar da alta de 16% dos registros confirmados, os casos suspeitos mais que dobraram e passaram de 2.406 para 5.877. O secretário municipal de Saúde, Alexandre Padilha, diz que a população está mais atenta em relação aos sintomas da dengue: “Tanto no mês de janeiro como fevereiro, são meses para fazer uma avaliação. O cenário que a prefeitura trabalha agora, de que a gente possa ter mais casos em 2016 vai se confirmando, mas a atuação no final de fevereiro, março e abril são decisivas. A população se envolver, o trabalho da prefeitura, a parceria com as forças armadas, o papel dos trabalhadores de limpeza é o que vai ser decisivo para definir se vamos ter um número maior de casos em relação ao ano passado”.

A Prefeitura tem como estimativa que neste ano os casos de dengue possam crescer 50%, chegando a até 150 mil. Em relação ao zika vírus, há 47 registros suspeitos da doença, sendo que 37 estão em investigação, 3 foram descartados, 3 foram confirmados de pessoas que moram em outros municípios e outros 4 foram contraídos em outras regiões.

O balanço aponta ainda que 6 gestantes já tiveram diagnósticos de bebês com microcefalia na cidade relacionados ao zika vírus. Ainda não há nenhum caso de zika contraído na cidade.

Informações de Anderson Costa