Chacina em Guarulhos deixa quatro mortos e um ferido

  • Por Jovem Pan
  • 02/01/2016 10h39
SP - CHACINA BAR GUARULHOS - GERAL - Quatro pessoas foram mortas e uma ficou ferida após ataque a um bar na Rua Domingos de Abreuna no bairro da Vila Galvão, em Guarulhos, SP, na madrugada deste sábado (2). Segundo a Polícia Militar, os disparos partiram de um veículo preto, cinco pessoas foram atingidas, elas foram socorridas, mas quatro delas não resistiram aos ferimentos. O sobrevivente foi levado ao Hospital Geral de Guarulhos. 02/01/2016 - Foto: EDISON TEMOTEO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOChacina

Primeira chacina do ano deixa quatro mortos e um ferido em Guarulhos, na Grande São Paulo. O crime ocorreu no início da madrugada deste sábado (02), no bar do Bebeto, localizado na Rua Domingos de Abreu, 398, região do Jardim Vila Galvão.

Segundo testemunhas, desconhecidos, encapuzados, surgiram em um Volkswagem Fox preto e passaram a atirar contra os frequentadores do comércio, que fica na favela São Rafael. Uma pessoa foi atingida e ficou caída na calçada; já as outras ainda tentaram correr e se refugiar em uma casa, mas foram perseguidas e também baleadas. Após atirar, os criminosos fugiram; equipes da PM chegaram minutos depois e acionaram o Corpo de Bombeiros, que socorreu os feridos.

As cinco vítimas foram levadas para os prontos socorros dos hospitais Padre Bento e Geral de Guarulhos, onde quatro morreram. Não há informações sobre o estado de saúde do sobrevivente.

Moradores do local disseram que, momentos antes do crime, uma viatura da Polícia Militar passou em frente ao bar. O caso foi registrado no 2º Distrito Policial de Guarulhos.

A chacina pode ser uma represália à morte do cabo Felipe Rebelato Nocelli Ramalho, da Terceira Companhia do Quinto Batalhão, do Tucuruvi. O militar foi assassinado no final da tarde da quarta-feira durante uma tentativa de assalto a uma loja de autopeças, na Rua Padre João Alvares, 300, próximo ao local da chacina ocorrida nesta madrugada. De folga e à paisana, o PM entrou no estabelecimento para comprar um farol para seu carro bem no momento em que ocorria um assalto.

Um bandido havia rendido dois funcionários no fundo do estabelecimento e, quando o cabo Ramalho entrou, ele se fez passar por vendedor. Quando o balconista sugeriu ao freguês que passasse pelo balcão para pegar ele mesmo o farol, o policial suspeitou. Ao perceber que o suposto vendedor estava armado, o militar sacou a pistola que trazia consigo e iniciou uma troca de tiros, quando acabou baleado no tórax e em um dos braços.

Ramalho, que era casado e residia em Guarulhos, chegou a ser levado para o Hospital Padre Bento, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O assaltante também foi ferido no confronto, mas conseguiu fugir com um comparsa, que o aguardava do lado de fora, em um Corsa Wind vermelho.

O veículo foi flagrado, em alta velocidade, pelas câmeras de um radar entre a Rodovia Fernão Dias e a Marginal do Tietê, mas, até agora,ninguém foi preso.

Esta é a primeira chacina registrada este ano na região metropolitana de São Paulo. Em 2015, ocorreram oito chacinas na Capital, com um total de 38 mortos, e outras nove, que deixaram 44 vítimas fatais na Grande São Paulo.

*Informações do repórter Paulo Edson Fiore