Cientista brasileira articula rede de especialistas para desvendar o zika

  • Por Jovem Pan
  • 21/12/2016 11h38
Imagem de microscópio eletrônico do vírus da zika (pontos pretos) em tecido humano

Uma das 10 cientistas mais importantes do mundo em 2016 encara como o novo desafio da ciência descobrir – de forma definitiva – em qual período da gestação o feto é mais suscetível a desenvolver a microcefalia quando a mãe contrai o zika. Assim, os métodos de prevenção poderiam ser aprimorados.

A brasileira Celina Turchi, especialista em doenças infecciosas da Fiocruz Pernambuco, foi incluída na seleta lista pela revista britânica “Nature” por causa de uma pesquisa. Ela e sua equipe descobriram a relação entre a microcefalia e o vírus até então misterioso. Até seu trabalho ser publicado, tudo não passava de hipóteses.

A cientista conversou com a Jovem Pan durante as férias e destacou ainda a importância da descoberta de uma vacina.

Um dos problemas que a doutora enfrentou foi não existir testes confiáveis sobre o vírus e nenhum consenso em relação à definição de microcefalia. Lembra da polêmica sobre a circunferência do crânio das crianças?

Um dos méritos de Celina Turchi foi articular um rede de cientistas ao redor do planeta com o mesmo objetivo: conseguir evidências suficientes para ligar a infecção por zika e a doença que matou centenas de fetos.

E tudo a toque de caixa.

Confira a reportagem completa de Carolina Ercolin: