Com aumento de juros, aposentados devem tomar cuidado com crédito consignado

  • Por Jovem Pan
  • 03/11/2015 13h07
Cédulas de dinheiro. Foto: Marcos Santos/USP ImagensDinheiro

 Aposentados devem pensar muito antes de tomar um empréstimo consignado, a modalidade com desconto na folha de pagamento.

O advogado especialista em Direito Previdenciário, Wladimir Novaes Martinez, ressalta o cuidado aos aposentados do crédito consignado: “Esse é um grande problema, que merecia um debate maior da sociedade. Quando falamos em pessoas com mais de 75 anos, com certeza não são elas que pedem esse empréstimo, e não para elas. Se for pra fazer uma cirurgia, um atendimento, tudo bem, mas geralmente é alguém da família que já tem procuração que quer conseguir, e agora, por um preço mais caro”.

O Governo elevou os juros do consignado aos aposentados. No crédito pessoal o percentual passa de 2,14 para 2,34% ao mês. Nos empréstimos realizados pelo cartão de crédito a taxa sobe de 3,06 para 3,36% ao mês.

O vice-presidente da Anefac, Associação dos Executivos de Finanças, Miguel Ribeiro de Oliveira, também lembra o cuidado maior para tomar crédito: “A taxa de consignado é a taxa mais baixa de crédito que temos no país, comparada às demais taxas de juros. Então seu aumento é uma decisão esperada, mas naturalmente ruim, porque encarece o crédito nessa modalidade. Mas todas as demais taxas de juros já vêm subindo nos últimos tempos. Para ter uma ideia, o cartão de crédito tem uma taxa de 400% ao ano, cheque especial 250% ao ano e o crédito consignado tem uma taxa de juros de 23% ao ano, que é baixa, mas não podemos esquecer que os juros como um todo estão altos no Brasil”.

O consignado subiu de 30 para 35% da renda dos aposentados, dos quais 5% a mais apenas para pagamento de dívidas com cartão de crédito.