Com desaceleração da economia, China ficará mais agressiva no comércio exterior

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2015 15h07
Investidores acompanham números da bolsa de valoresBolsa de valores China

 A desaceleração da economia obrigará a China a ser mais agressiva no comércio exterior, o que por sua vez irá aumentar a concorrência ao produto brasileiro. Os chineses registraram o pior crescimento trimestral desde 2009, com apenas 6,9% no terceiro trimestre deste ano.

O consultor de comércio exterior Michel Alabí destaca que haverá reflexos, mas ainda é preciso aguardar para se ter um quadro mais preciso sobre a situação. Ele ressalta que os exportadores brasileiros podem ter bastante dor de cabeça: “Com o mercado chinês em desaceleração, a China vai tentar vender para os mercados que o Brasil eventualmente exporta”.

O presidente do Instituto Aço Brasil, Marco Polo de Mello Lopes, indica que a preocupação agora não é com as exportações do Brasil para a China. Ele salienta que é preciso ficar atento à avalanche chinesa que está por vir no mercado mundial: “Quando o crescimento da China cai, significa que o consumo interno também cai. Com isso o excedente aumenta e ela se volta para o mercado internacional de uma forma muito mais efetiva, muito mais agressiva”.

Para 2015, o governo chinês prevê um crescimento consolidado por volta de 7%. Caso o resultado seja confirmado, será o menor em 25 anos.