Com educação em atraso, Brasil nunca será uma grande nação

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2015 13h11
Escola São Paulo une criatividade e educação; Conheça

 A educação brasileira apresenta um século de atraso e, sem investimentos adequados na área, o país jamais se tornará uma grande nação. Essas afirmações surgiram do Segundo Fórum Nacional de Educação que ocorreu na quarta-feira (21/10), em São Paulo.

Para a presidente do Instituto Ayrton Senna, alunos saem despreparados das escolas, gerando graves consequências econômicas, sociais e políticas. Viviane Senna ainda observa que a solução está no exemplo dos países asiáticos na década de 50: “Esses países como Coreia do Sul, Singapura, entre outros, resolveram investir em educação e depois enriquecerem. O Brasil e os países latino-americanos prefeririam primeiro enriquecer e depois investir em educação. Hoje, olhando os países asiáticos e os latino-americanos, a gente vê quem acertou. É uma questão de estabelecer uma meta e persistir nela durante muitas décadas. Precisa ser uma política de estado e não de governo”.

Segundo o presidente do LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, João Dória Jr., a educação é um direito e prioridade essencial para o desenvolvimento do país. Ele diz que para o Brasil ampliar a sua competitividade no mercado mundial, é preciso muito investimento na capacitação da juventude: “Não há outro caminho. Se o Brasil não apostar fortemente na educação, o Brasil nunca será uma grande nação, ficará sempre na rabeira. Veja o exemplo de países que investiram em educação, como a Coreia. Eles tiveram uma grande transformação a partir desse investimento. Hoje o país é uma potência mundial econômica, na industrialização, na tecnologia e na inovação”.

O Segundo Fórum Nacional de Educação teve como tema central “Educação como Ferramenta Estratégica para o Desenvolvimento da Inovação”. O evento foi promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais e pelo Instituto Ayrton Senna.