Com reabertura, Viaduto Santo Amaro será monitorado por 15 dias, afirma Haddad

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2016 12h43
São Paulo - Funcionários da Companhia de Engenharia de Trafego (CET), orientam motoristas proximos ao Viaduto Santo Amaro após acidente que comprometeu as estruturas do viaduto (Rovena Rosa/Agência Brasil)Viaduto Santo Amaro

 Viaduto Santo Amaro foi reaberto após o incêndio ocorrido no dia 13/02, mas a definição sobre a reforma da estrutura deve sair apenas nos próximos dias. A ligação estava interditada desde o acidente envolvendo dois caminhões na Avenida dos Bandeirantes e corria o risco de ser demolido.

A Prefeitura contratou duas empresas de engenharia e um professor da USP que atestaram ser possível a restauração do viaduto. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirma ao repórter Anderson Costa que não há dúvidas a respeito da segurança da estrutura. “Um engenheiro da USP jamais liberaria um viaduto e nem nós, esses dias todos foram gastos para a gente fazer um laudo técnico”. Haddad destacou que o viaduto será monitorado por 15 dias para verificar como ele vai reagir ao tráfego de ônibus.

O secretário de Infraestrutura Urbana e Obras, Roberto Garibe, diz que não houve danos estruturais apesar da gravidade do incêndio. “Baseado nos laudos eu não tenho dúvida de que a estrutura suporta a liberação que nós estamos fazendo, monitorada e restrita. Nada estrutural foi afetado de forma que impeça essa liberação”.

A Prefeitura informou ainda que o fato do viaduto não precisar ser demolido representa uma economia de R$ 40 milhões. Os custos da reforma da estrutura serão pagos pela administração municipal, que vai entrar na Justiça para cobrar os responsáveis pelo acidente.