Comandante das Farc diz que “não” ao acordo foi bom para aprimorar discussões

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2016 07h07

Líder das FARC Timoleón JiménezEFE - Líder das FARC Timoleón Jiménez

O principal líder das Farc afirmou, nesta quarta-feira (12), que a reprovação do acordo de paz na Colômbia foi boa para aprimorar as discussões sobre o tratado.

Segundo o comandante Rodrigo Londoño, conhecido como “Timochenko”, o resultado do referendo do dia 2 de outubro passou a envolver no debate os colombianos que decidiram não votar no plebiscito.

A taxa de abstenção na consulta popular foi de 63%.

Para o líder da guerrilha, os eleitores que não foram às urnas passaram a se interessar mais pelo “feito histórico”, que é o acordo de paz.

De acordo com Timochenko, as Farc vão manter o cessar-fogo, mas não pretendem modificar nenhum ponto do texto, em uma eventual reabertura das negociações.

Ele classifica como uma “brutalidade” refazer uma discussão que se arrastou por tantos anos.

As tratativas com o presidente Juan Manoel Santos foram iniciadas em 2012 e o pacto final foi assinado em agosto.

O acordo encerraria um conflito de 52 anos, que já deixou mais de 260 mil mortos, mas acabou sendo rejeitado no plesbicito.

*Informações do repórter Vitor Brown