Confira aqui o que você não ouviu em “Os Pingos nos Is” de 07/04/2017

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2017 14h06

O que Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown não comentaram nesta sexta-feira (07), você confere aqui:

MARINA – Em palestra, a ex-senadora Marina Silva afirmou que o modelo de “lista fechada”, proposta na reforma política, excluirá o cidadão e dará “mais poderes para os partidos e para os caciques”. A presidente da Rede defendeu o financiamento público de campanha, “mas não com o volume de recursos que estão propondo”. Para ela, a criação de um fundo de R$ 2,2 bilhões em dinheiro público para financiar as legendas em 2018 é um exagero. Marina elogiou o trabalho da Lava Jato, que, segundo ela, “está fazendo uma reforma política na prática”.

LULA X MORO – O ex-presidente Lula disse que está “ansioso” para prestar depoimento ao juiz Sergio Moro, na audiência sobre o tríplex de Guarujá, marcada para o dia 3 de maio no Paraná. Em entrevista, o petista afirmou que o encontro será a primeira oportunidade que terá de saber qual é a acusação e quais provas a Lava Jato tem contra ele.

PRESIDÊNCIA X PT – A dois dias da primeira etapa das eleições para o comando do PT,  o secretário-geral da sigla, Romênio Pereira, apresentou uma proposta de acordo entre os dois candidatos: os senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias. A ideia é criar uma vice-presidência reservada exclusivamente a Lindbergh, evitando a disputa entre os dois. Hoje, a Executiva Nacional do PT é composta por 21 membros. O senador seria seu 22º integrante, o primeiro-vice-presidente do partido.

ROMBO – A equipe econômica anunciou hoje que revisou a meta fiscal de 2018 para um rombo de R$ 129 bilhões. A previsão anterior era de deficit de R$ 79 bilhões. O anúncio foi feito pelos ministros do Planejamento, Dyogo Oliveira, e da Fazenda, Henrique Meirelles, que citou a crise econômica de 2015 e 2016 como o principal motivo para a mudança. Concretizada a projeção, 2018 será o 5º ano consecutivo em que a União fechará com as contas no vermelho.

PIB – O ministro da Fazenda Henrique Meirelles afirmou que a expectativa é que, depois de crescer 0,5% neste ano, o PIB aumente 2,5% em 2018 e em 2019, e 2,6% em 2020.

INFLAÇÃO – A inflação oficial do país desacelerou em março e fechou o mês em 0,25%, 0,08 ponto percentual abaixo do índice registrado em fevereiro. No mesmo período do ano passado, o IPCA havia ficado em 0,43% . No acumulado em 12 meses, o indicador avançou 4,57%. No primeiro trimestre de 2017, o IPCA registrou alta de 0,96%, número bem inferior aos 2,62% de 2016.