Confira aqui o que você não ouviu em “Os Pingos nos Is” de 10/04/2017

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2017 14h32

O que Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown não comentaram nesta segunda-feira (10), você confere aqui:

DORIA X ÔNIBUS – Em entrevista à Folha, o prefeito de São Paulo, João Doria, afirmou que pretende retirar os cobradores de todos os ônibus que circulam na cidade até o fim de seu mandato. Segundo ele, “nenhuma cidade civilizada do mundo tem cobradores dentro dos coletivos”. Hoje, há cerca de 19 mil cobradores e 33 mil motoristas na capital. Na mesma entrevista, Doria disse que irá diminuir o poder de empresários de ônibus ao cortar pela metade o tempo de concessão do serviço, hoje em 20 anos.

PREVIDÊNCIA – O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que as mudanças propostas na reforma da Previdência não vão prejudicar o trabalhador de menor renda. Segundo ele, os mais atingidos são os que possuem carteira assinada e os que tiveram condições de contribuir por mais tempo.

DILMA – Em evento nos Estados Unidos, a ex-presidente Dilma disse que se preocupa com a eventual prisão do ex-presidente Lula: “Me preocupa que prendam o Lula. Me preocupa que tirem o Lula da parada (…). Infelizmente, para as oposições, ele tem nas pesquisas 38 por cento, com tudo o que fizeram com ele (…). Deixa ele concorrer para ver se ele não ganha”.

ELEIÇÕES X PT – Militantes petistas foram às urnas no fim de semana para a primeira etapa das eleições internas do partido. Segundo estimativa preliminar da cúpula do PT, cerca de 200 mil pessoas participaram da escolha de seus dirigentes e delegados municipais. Esse total representa menos da metade do número de votantes no último processo eleitoral, em 2013, quando o quorum foi de 420 mil.

TILLERSON – O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, disse que os Estados Unidos vão enfrentar todos os países que cometerem crimes contra a humanidade. Tillerson havia afirmado em entrevista a um programa da ABC que a ação punitiva contra a Síria serve de advertência para a Coreia do Norte. Afirmou: “A mensagem que qualquer nação pode tirar é ‘se você viola os acordos internacionais, se fracassa em cumprir compromissos, se vira uma ameaça para outros, em alguma hora uma resposta será dada’.

EI – Segundo a Folha, o Estado Islâmico perdeu 60% do território que dominava no Iraque, especialmente as áreas com poços de petróleo, e 30% na Síria. Os terroristas também passam por uma espécie de crise financeira: perderam parte da receita que obtinham vendendo petróleo no mercado negro e dependem de extorsão e impostos para se financiar. O EI, em seu apogeu, em 2015, chegou a ter 10 milhões de pessoas em seus territórios. Agora tem cerca de 6 milhões. Os dados são do IHS Conflict Monitor.

SERRA – De acordo com a Folha, Pedro Novis, ex-presidente do grupo Odebrecht, disse em delação premiada ter repassado 2 milhões de euros via caixa dois ao tucano José Serra entre 2006 e 2007, quando ele disputou o governo de São Paulo e se elegeu no primeiro turno. Segundo Novis, não foi exigida contrapartida, ou seja, não se trataria de propina em razão de algum benefício prometido ou proporcionado por Serra. O senador nega irregularidades.