Confira aqui o que você não ouviu em “Os Pingos nos Is” de 16/03/2016

  • Por Jovem Pan
  • 16/03/2016 14h21

O que Patrick Santos, Victor LaRegina e Silvia Poppovic não comentaram nesta quarta-feira (16), você confere aqui:

NOVO GOVERNO – Após o anúncio de Lula na Casa Civil, começaram rumores sobre uma dança das cadeiras no governo. O ex-presidente já teria convidado Henrique Meirelles para reassumir o Banco Central. Edinho Silva, da Comunicação Social, iria para Esportes, no lugar de George Hilton. O substituto de Edinho seria o jornalista Franklin Martins. Outras mudanças seriam o retorno de Celso Amorim para Relações Exteriores e a ida de Ciro Gomes para a Educação, tirando Aloizio Mercadante dos quadros. A nomeação oficial de Lula também pode abortar a posse de Eugênio Aragão no Ministério da Justiça. O petista já teria sondado Nelson Jobim, ex-ministro do STF, para assumir o posto.

JANOT X LULA – Ao comentar a ida de Lula para a Casa Civil, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse: “Isso é um problema dele, não meu”. Questionado sobre a delação de Delcídio do Amaral, que cita o ex-presidente e Dilma, Janot afirmou que o MP está examinando os documentos e, se houver indício, será aberta uma investigação independente de quem quer que seja.

FHC X LULA – Para Fernando Henrique Cardoso, a nomeação de Lula à Casa Civil é “um erro do ponto de vista da organização do governo”. Na avaliação dele, “nomear um político para o comando da Casa Civil vai gerar confusão entre política e administração”.

RENAN X LULA – O nome de Lula foi aprovado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, por ter “indiscutivelmente boas relações com o Congresso” e, se o ex-presidente se dispuser a colaborar com os parlamentares, poderá ser bem “acolhido”. Apesar dos elogios, o peemedebista disse que não é possível saber se Lula será capaz de resolver a crise política.

OPOSIÇÃO X LULA – A oposição protocolou uma série de ações na Justiça para tentar impedir a nomeação oficial de Lula como ministro da Casa Civil. O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado, declarou que o ex-presidente tenta se “esconder” e que ninguém mais vai querer dialogar com Dilma após esse episódio. Para o Líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy, a nomeação “é um tapa na cara da sociedade” que foi às ruas pedir o fim do governo Dilma.

AÉCIO X LULA – O presidente nacional do PSDB Aécio Neves classificou como “absolutamente condenável” a nomeação de Lula para a Casa Civil do governo Dilma. Em nota, o tucano afirmou que Dilma abdica definitivamente de seu mandato e que a entrada de Lula oficialmente no governo pode “representar uma tentação irresistível ao populismo e irresponsabilidade fiscal que nos trouxeram a esse calvário que vivemos hoje”.

MBL X LULA – O Movimento Brasil Livre afirmou que Lula na Casa Civil é “mais um factoide” e que o petista não irá salvar o governo Dilma do impeachment.

GILMAR X LULA – O ministro do STF Gilmar Mendes afirmou que Lula, mesmo ministro, pode continuar a ser investigado pelo juiz Sérgio Moro, em Curitiba. Para isso acontecer, a Suprema Corte precisa entender que a nomeação do petista foi apenas para fugir da 1ª instância. Gilmar disse que essa é uma questão “que merece meditação do tribunal”.

CARDOZO X LULA – O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, declarou que a indicação de Lula para a Casa Civil não transforma “em hipótese alguma” a presidente Dilma em rainha da Inglaterra. Segundo Cardozo, “ela é presidente eleita, tem equipe de ministro e conta agora com um ministro que tem experiência e reconhecimento internacional, o que nenhum governo pode prescindir”.

ATO X PT – Os movimentos sociais decidiram mudar o formato da manifestação programada para sexta (18) em defesa de Lula. Em vez de caminharem pela Av. Paulista, em São Paulo, eles ficarão no vão livre do Masp, onde será montada uma estrutura para receber atrações musicais.

DELCÍDIO X FOLHA – Em entrevista à Folha, Delcídio do Amaral falou sobre sua delação premiada e disse que não é vilão nem bandido, é apenas um “profeta do caos”. Sobre o ministro Aloizio Mercadante, que apareceu em gravação oferecendo apoio financeiro e lobby junto ao Supremo para tentar evitar a delação do senador, Delcídio afirmou que ele nunca foi seu amigo, no máximo, “um amigo da onça”.

ESTEVES X CUNHA – O senador Delcídio do Amaral disse em depoimento de delação que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, tinha uma estreita relação com o banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, e atuava para favorecê-lo em medidas provisórias no Congresso.

PARLAMENTARISMO X STF – O STF adiou o julgamento de uma ação que questiona se o Congresso pode, por meio de emenda à Constituição, instituir o parlamentarismo. A decisão foi tomada porque o relator do caso, ministro Teori Zavascki, recebeu pedido do Senado para se manifestar sobre o processo. O julgamento deve voltar a ser pautado em dez dias.