Confira a edição completa de “Os Pingos nos Is” desta quarta-feira (03/05/2017)

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2017 14h24

Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown comentaram os principais assuntos desta quarta-feira (03) em “Os Pingos nos Is”.

Em seu editorial de abertura, Reinaldo Azevedo falou sobre a soltura do ex-ministro José Dirceu. Saiba mais no editorial completo.

INDÚSTRIA – De acordo com o IBGE, a produção da indústria cresceu 1,1 % em março na comparação com o mesmo período do ano passado. Em fevereiro, o índice havia caído 0,8%. Nos três primeiros meses do ano, o indicador registrou alta de 0,6% frente ao registrado no primeiro trimestre de 2016. Em março deste ano, 16 dos 26 ramos pesquisados pelo IBGE tiveram melhora na produção, com destaque para o setor de veículos.

RIO DE JANEIRO – O governo federal vai enviar um reforço de mais de 200 homens da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional para o Rio de Janeiro. O estado vive uma onda de violência. Nesta terça, depois de uma troca de tiros entre facções rivais na favela da Cidade Alta, a polícia apreendeu 32 fuzis e prendeu 40 pessoas. Foi a maior apreensão de armas pesadas numa única operação da PM.

GILMAR – O ministro do STF Gilmar Mendes disse que tudo o que tinha para dizer sobre a decisão tomada pela Segunda Turma, de libertar o ex-ministro José Dirceu, foi dito em seu “voto histórico”. Nele, Gilmar ponderou que o petista só foi condenado em primeira instância – e, portanto, tem o direito de recorrer em liberdade. Ele também reclamou da demora do TRF em julgar o recurso do réu. Disse Gilmar: “Não é o clamor público que recomenda a prisão processual. Ainda que em casos chocantes, a prisão preventiva precisa ser necessária, adequada e proporcional. Aqui temos um condenado ainda em presunção de inocência”.

GENERAL X STF – O ex-comandante na Amazônia e das tropas brasileiras no Haiti, o general da reserva Augusto Heleno Pereira, divulgou texto contra a soltura de presos condenados pela Lava Jato. Diz um trecho da carta: “Será que os doutos Ministros do STF avaliam o mal que têm causado ao país? Ou o Olimpo em que vivem os afasta totalmente da consciência nacional? Façam uma pesquisa para avaliar o que a população honesta pensa, hoje, da instituição em que militam”.

PREVIDÊNCIA X COMISSÃO – O governo estima que a votação da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara pode não ser concluída nesta quarta. Para articuladores do Palácio do Planalto, os deputados oposicionistas devem usar artifícios regimentais, como recursos e longos discursos, para prolongar os debates – o que poderia adiar a votação do texto para quinta.

PREVIDÊNCIA X AGENTES – Relator da reforma da Previdência, o deputado Arthur Maia recuou e desistiu de contemplar em seu parecer os agentes penitenciários entre os beneficiários de aposentadoria especial. A justificativa do deputado foi que parlamentares alegaram que o Legislativo estava atendendo o pedido de um grupo que fez um movimento “contra a lei brasileira”, ao invadir o Ministério da Justiça ontem. Mais cedo, Maia havia concordado em adicionar no texto a previsão de idade mínima de 55 anos para os agentes penitenciários se aposentarem.

RENAN X REFORMA – O senador Renan Calheiros, líder do PMDB na Casa, se reuniu com representantes das centrais sindicais para discutir a reforma trabalhista. O presidente da CUT, Vagner Freitas, que participou do encontro, afirmou que o Senado tem a obrigação de revisar o “desmonte” feito pela Câmara com a reforma trabalhista.

TRUMP X ABBAS – Em encontro em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder palestino, Mahmoud Abbas, anunciaram um esforço conjunto para um acordo de paz entre Israel e Palestina. Ambos declararam que estão diante de uma oportunidade histórica para solucionar o conflito que se arrasta há décadas. Trump disse que a paz não poderá ser imposta pelos Estados Unidos ou por outro país, mas se ofereceu para trabalhar como mediador ou facilitador das negociações.

GILMAR X ELEIÇÕES – O ministro do STF Gilmar Mendes afirmou que o Brasil precisa encerrar o ciclo atual de “vale tudo” na política, defendendo a necessidade de uma reforma no sistema. Para Gilmar, se não houver mudanças, o processo eleitoral de 2018 vai continuar com a existência de caixa dois e a corrupção abrirá espaço para o dinheiro do crime.

DATAFOLHA – Pesquisa do instituto Datafolha perguntou às pessoas se elas são contra ou a favor do foro especial por prerrogativa de função”. Para 70% dos entrevistados, o foro deveria acabar; 24% acham que não e 6% não souberam responder. O levantamento revelou que o fim do foro privilegiado recebe apoio mais forte entre os mais ricos e mais escolarizados: 82% dos que possuem ensino superior apoiam o fim do foro. Esse número cai para 57% entre os que têm ensino fundamental. Já 82% daqueles que declararam receber mais do que cinco salários mínimos são contrários ao foro. O número vai a 63% entre os que recebem até dois mínimos.