Confira a edição completa de “Os Pingos nos Is” desta quarta-feira (10/05/2017)

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2017 14h04

Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown comentaram os principais assuntos desta quarta-feira (10) em “Os Pingos nos Is”.

Em seu editorial de abertura, Reinaldo Azevedo falou sobre o depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro. Saiba mais no editorial completo.

REFORMA X PREVIDÊNCIA – O governo Michel Temer conseguiu concluir hoje a votação da proposta de reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados. O texto segue agora para análise do plenário da Casa. Nesta terça, a reunião teve a análise de dez destaques, dos quais nove foram derrubados. Após acordo entre os deputados, foi aprovado um destaque que eliminou do texto o trecho que retirava da Justiça Estadual e passava para a esfera Federal a competência de julgar casos de benefícios acidentários da Previdência.

INFLAÇÃO – A queda nos preços da energia elétrica e dos combustíveis fez a inflação oficial do país recuar em abril para o menor nível registrado para o mês desde o início do Plano Real, em 1994. De acordo com o IBGE, o IPCA registrou alta de 0,14% em abril, desacelerando frente aos 0,25% de março. Em abril, os preços de energia elétrica e combustíveis caíram, respectivamente, 6,39% e 1,95%.

STJ – O ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça, negou três recursos da defesa de Lula. Um dos recursos pedia para suspender por 90 dias o processo para que os advogados tivessem tempo de analisar documentos da Petrobras incluídos no caso. Também foi negada a gravação da audiência por uma equipe independente. A defesa do petista também alegou que não faz sentido Lula ter de depor a Sérgio Moro antes de haver uma decisão definitiva sobre a suspeição do juiz.

GILMAR – O ministro do STF Edson Fachin negou dar andamento ao pedido de impeachment contra o também ministro do Supremo, Gilmar Mendes. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também se manifestou contra o pleito alegando que não há base legal no mandado de segurança e, por isso, o caso deveria ser arquivado. O pedido rejeitado é assinado por alguns juristas que afirmaram que Mendes teve atitudes questionáveis ao se pronunciar publicamente sobre processos do STF, dar declarações que indicam quebra de imparcialidade e demorar de forma injustificada para devolver processos em que pediu vista.

MARCO AURÉLIO – O ministro do STF Marco Aurélio Mello declarou-se impedido para julgar qualquer processo em que haja atuação do escritório do advogado Sérgio Bermudes. Ele tomou a decisão informando que a sobrinha dele, Paula Mello, trabalha nesse escritório. Escreveu Mello: “Para efeito de distribuição e tomada de voto, informo estar impedido de atuar em processos – subjetivos e objetivos – patrocinados pelo escritório Sérgio Bermudes Advogados e naqueles que, embora atue advogado que não o integre, envolvam cliente do referido escritório de advocacia, nas áreas civil e criminal”.

TEMER – O presidente Michel Temer defendeu que o país não pode ficar em um “embate permanente” e que é preciso eliminar a “raivosidade” da consciência nacional. Sem citar o depoimento de Lula a Sérgio Moro, o peemedebista pregou a necessidade de uma “pacificação nacional” e disse que, embora existam mesmo algumas disputas no país, elas não podem ter agressões verbais ou físicas. Afirmou: “Nós precisamos ter mais tranquilidade no país”.

PMDB X REFORMA – A bancada do PMDB no Senado se reuniu ontem em jantar oferecido pela senadora Marta Suplicy, em Brasília. O tema do encontro foi a reforma trabalhista. Segundo a Folha, o senador Roberto Requião era um dos mais exaltados e chegou a discutir com alguns colegas que defendem a proposta do governo. Para Requião, a reforma ignora os trabalhadores e faz o jogo do mercado.