Confira a edição completa de “Os Pingos nos Is” desta segunda-feira (01/05/2017)

  • Por Jovem Pan
  • 01/05/2017 17h21

Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown comentaram os principais assuntos desta segunda-feira (01) em “Os Pingos nos Is”.

Em seu editorial de abertura, Reinaldo Azevedo falou da pesquisa Datafolha sobre a reforma da Previdência. Saiba mais no editorial completo.

ÍNDIOS – O Conselho Indigenista Missionário informou que um grupo de indígenas gamelas que vivem em um povoado no interior do Maranhão foi atacado neste domingo por pistoleiros. Cinco índios foram baleados e dois tiveram as mãos decepadas – chegou a 13 o número total de feridos. O ataque seria resultado de uma briga por território. Em nota, o Ministério da Justiça afirmou que “está averiguando o ocorrido envolvendo pequenos agricultores e indígenas”.

BELCHIOR – O cantor e compositor cearense Belchior morreu durante a madrugada deste domingo em Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, aos 70 anos. Segundo o delegado Luciano Menezes, responsável pela investigação, a causa da morte foi uma dissecção da aorta, rasgo da parede da principal artéria do corpo humano, causando grande perda de sangue. Familiares do artista comunicaram o governo do Ceará, que, em nota, decretou luto oficial de três dias no Estado. O velório acontece em Fortaleza.

MTST – A juíza estadual Marcela Filus Coelho decretou a prisão preventiva de três militantes do MTST, presos em flagrante na última sexta, quando participavam de uma manifestação em São Paulo. Luciano Antônio Firmino, Juraci Alves dos Santos e Ricardo Rodrigues dos Santos são acusados de incitação ao crime. A PM acusou o primeiro de portar um galão de gasolina para provocar incêndios. Os outros dois teriam disparado rojões contra policiais. A direção do MTST afirmou que as detenções são arbitrárias e não há nenhuma prova contra os militantes.

DATAFOLHA X TRABALHISTA – Segundo o Datafolha, os brasileiros acham que a reforma trabalhista e a terceirização privilegiam mais os empresários do que os trabalhadores. De acordo com o instituto, 64% dos entrevistados acham isso da reforma e 63% dizem o mesmo sobre a terceirização. Na avaliação de 58%, os trabalhadores perdem direitos com a reforma trabalhista. Outros 21% acham que não haverá mudança com a reforma e 11% acreditam que os direitos vão aumentar com as mudanças.

DATAFOLHA X TERCEIRIZAÇÃO – Para 34% dos entrevistados pelo Datafolha, a nova legislação sobre terceirização deve aumentar a criação de empregos. Outros 31% consideram que não haverá mudança e igual parcela prevê que vagas serão fechadas. Para 66% , os preços de mercadorias e serviços devem subir com a ampliação da terceirização. Apenas 17% esperam aumento dos salários. 45% acham que não haverá impacto na remuneração e 35% dizem que ela será reduzida.

TEMER X 1 DE MAIO – O presidente Michel Temer disse que o 1º de Maio deste ano “marca um momento histórico” por causa da reforma trabalhista. Em pronunciamento, o presidente afirmou que as mudanças aprovadas pelo Legislativo devem corrigir uma série de desigualdades, entre elas a salarial entre homens e mulheres. O peemedebista explicou que os trabalhadores não perderam direitos nenhum: “Primeiro, você terá mais empregos. Segundo, todos os seus direitos trabalhistas estão assegurados”.

PAULINHO – No palco montado pela Força Sindical na Praça Campos de Bagatelle, em São Paulo, o deputado e líder da central, Paulinho da Força, disse que a greve da última sexta “foi só o começo”. Segundo ele, “se o governo não entendeu, vai ter mais”. Antigo aliado de Michel Temer, Paulinho afirmou que não é contra as reformas, desde que elas sejam feitas de maneira justa e civilizada. De acordo com o sindicalista, do jeito que as propostas estão, quem vai pagar a conta são os trabalhadores.