Confira a edição completa de “Os Pingos nos Is” desta segunda-feira (01/09/2014)

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2014 20h38

No programa Os Pingos nos Is desta segunda-feira, logo após o segundo debate eleitoral dos candidatos à Presidência, transmitido pela Jovem Pan, Reinaldo Azevedo e Mona Dorf (Patrick Santos esteve no debate) comentaram e opinaram sobre os principais assuntos do dia. Confira abaixo o que foi destaque nesse 01º de setembro de 2014 e ouça o programa completo no áudio ao lado.

Na abertura do programa, Reinaldo falou em seu editroal sobre o aumento da Bolsa de valores de São Paulo (a Ibovespa) após o Datafolha divulgar Marina Silva 10 pontos a frente de Dilma Rousseff num eventual segundo turno.

“O governo Dilma paga o preço de uma política destrambelhada no caso das estatais de tal sorte elas foram usadas para fazer política mesquinha”, afirmou Reinaldo, lembrando que as estatais Petrobras, Eletrobras e Banco do Brasil lideram a valorização da Bolsa. “De tal sorte o governo avançou sobre elas para compensar desajustes estruturais na economia; de tal sorte se atentou contra a economicidade dessas empresas, que não resta ao mercado senão pôr um preço na possibilidade de o PT ser apeado do poder”, equacionou.

Por isso, Marina Silva é vista com melhores olhos pelo mercado. “As pessoas que estão dando pitaco na área econômica do marinismo parecem bem menos apegadas à ideia de que uma estatal existe como quintal onde o governo pode fazer suas manobras para compensar sua incompetência técnica”, disse Reinaldo.

“Não foi por falta de advertência que os petistas estão colhendo esse resultado”, avaliou Reinaldo. “Mas o poder sempre os tornou arrogantes demais para prestar atenção a uma crítica. Ao contrário: eles tratam os críticos a pontapés e chegam a financiar uma imprensa pirata só para desmoralizá-los”, opinou.

Mona Dorf avaliou em sua síntese do debate presidencial que Marina Silva (PSB) e Dilma Rousseff (PT) polarizaram a discussão – “Sempre que puderam, uma fez pergunta à outra”. Para a comentarista, a pessebista venceu a candidata à reeleição com mais segurança nas respostas e colocações.

Mona Dorf elogiou ainda o desempenho de Aécio Neves (PSDB). Reinaldo concorda com Mona e vê Marina Silva no ataque e Dilma na defesa, lembrando que a posição ofensiva é sempre mais favorável.

Reinaldo destaca a postura “mais presidencial” de Marina e a dificuldade de Dilma em responder a críticas. O comentarista sublinha também respostas pessoais de Dilma contra Aécio.

“Nesse embate, Marina levou de lavada”, avalia Reinaldo, relevando que não necessariamente ela demonstrou o melhor conteúdo em seu discurso, mas a melhor compostura.

“Dilma mal treinada, despreparada para enfrentar Marina, nos cascos, na ponta do pé para enfrentar Aécio, tartarmudeando” (gaguejando), considerou Reinaldo.

Algumas Notícias também comentadas na edição desta segunda de Os Pingos foram:

  • A ideia fixa do prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad, já tem novo alvo: a Avenida Paulista. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, começa a sair do papel neste mês de setembro uma ciclovia que passará pela Paulista. Ela fará com que o canteiro central da avenida seja alargado em cerca de 25 centímetros em cada lado, a fim de acomodar a passagem das bicicletas nos dois sentidos. A Prefeitura tenta arrumar um jeito de não prejudicar a circulação de veículos.
  • 3 dias depois da constatação de que o Brasil passa por um quadro de recessão técnica, o mercado financeiro revisou mais uma vez para baixo a expectativa de crescimento do PIB este ano. Essa foi a décima quarta redução consecutiva do indicador. Segundo o Boletim Focus, a perspectiva de crescimento da economia do país em 2014 recuou de 0,70% para 0,52% na semana passada.
  • O saldo da balança comercial teve o pior mês de agosto agosto desde 2001. No período, as exportações superaram as importações em US$ 1,2 bilhão de dólares. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o resultado positivo se deu graças à venda de uma plataforma de petróleo no valor de U$ 1,1 bilhão de dólares. Apesar do desempenho pífio no mês, o resultado garantiu saldo positivo no ano para a balança comercial, que agora apresenta superávit de 249 milhões de dólares. Reinaldo explica por que isso se chama contabilidade criativa.
  • O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo indeferiu, nesta segunda-feira, o registro de candidatura de Paulo Maluf, do PP, a deputado federal, com base na Lei da Ficha Limpa. Por 4 votos a 3, o colegiado decidiu que a condenação de Maluf no caso de superfaturamento na construção do túnel Ayrton Senna e da Avenida Jornalista Roberto Marinho (antiga Água Espraiada), quando era prefeito de São Paulo, o enquadra no artigo da inelegibilidade por improbidade administrativa.
  • Reinaldo, na sexta-feira, nós discutimos, aqui, o programa de governo do PSB que trazia duas inovações em relação, ao chamado “Marinismo Clássico”: o apoio ao desenvolvimento da energia nuclear e ao casamento gay. Você lembrou muito bem, aqui nos Pingos, que Marina Silva era contra o apoio ao desenvolvimento da energia nuclear. E continua contra. Horas depois de o programa ter sido divulgado, interlocutores da candidata foram a público para divulgar a primeira errata, esta sobre o tema da energia nuclear. Depois, Marina fez a segunda errata – não vai se comprometer com o casamento gay, mas apenas respeitar as consequências da decisão do Supremo, que equiparou as uniões civis hétero e homossexuais. E também não vai dar apoio formal ao PLC 122, a lei que criminaliza a homofobia. Reinaldo avalia que o recuo pode até melhorar a popularidade de Marina, já que esses temas não são consenso na sociedade brasileira.

Ouça o programa inteiro no áudio acima.