Confira a edição completa de “Os Pingos nos Is” desta sexta-feira (28/04/2017)

  • Por Jovem Pan
  • 27/04/2017 18h15

Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown comentaram os principais assuntos desta sexta-feira (28) em “Os Pingos nos Is”.

Em seu editorial de abertura, Reinaldo Azevedo falou sobre a greve geral em todo o país contra as reformas trabalhista e da Previdência. Saiba mais no editorial completo.

GREVE – A greve geral desta sexta teve a adesão de todos os Estados e o DF. Em São Paulo, houve bloqueio de ruas e rodovias, como a Dutra, Castello Branco e a Raposo Tavares, que resultaram na prisão de ao menos 16 pessoas. Cerca de 30 categorias aderiram à paralisação, entre motoristas, metroviários, ferroviários, bancários, aeroviários, professores municipais, estaduais e particulares, entre outros. No Rio de Janeiro, um grupo de servidores estaduais, sindicalistas e estudantes se manifestou em frente a Assembleia Legislativa, o que levou a um confronto com a PM. Em Belo Horizonte, houve protestos e bloqueios durante a manhã. Em Brasília, 20 mil pessoas participaram de ato na Esplanada dos Ministérios.
NÚMEROS – Em um comunicado à imprensa, a Força Sindical estimou que 40 milhões de trabalhadores aderiram à paralisação nesta sexta ao redor do país. 
SERRAGLIO X GREVE – O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, afirmou que a manifestação promovida pelas esquerdas foi um insucesso. Para Serraglio, o movimento se limita à ação de sindicalistas e não do cidadão comum: “Você pega milhares de pessoas obstruídas por 15, 20, 50 pessoas. A maioria estava querendo ir trabalhar, mas foram obstruídas. É mais uma greve aparentemente dos sindicatos, das centrais, perturbados com as decisões desta semana do Congresso Nacional, que estão tirando recursos bilionários deles”.
DILMA – A ex-presidente Dilma demonstrou seu apoio à greve desta sexta, ao afirmar, em rede social, que manifestações mostram “resistência” dos trabalhadores.
FAMOSOS X GREVE – Alguns artistas se manifestaram nas redes sociais em favor da greve, como as atrizes Drica Moraes e Dira Paes, que publicaram no Instagram o cartaz com a mensagem: “É greve porque a coisa está grave”. 

DESEMPREGO – A taxa de desemprego no Brasil voltou a bater recorde no primeiro trimestre de 2017, período em que 13,7%  da população, ou mais de 14,2 milhões de pessoas, estavam sem ocupação. O número representa uma alta de 14,9%, ou 1,8 milhão de pessoas, com relação ao trimestre entre outubro e dezembro, quando a taxa foi de 12%. O desemprego aumentou também na comparação anual do indicador. No período encerrado em março de 2017, a taxa estava em 10,9%. Isso significa que, em um ano, mais de 3 milhões de pessoas passaram a procurar trabalho no país. 
TSE – O novo ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Admar Gonzaga, disse que deve levar duas semanas para se inteirar sobre a ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer. Gonzaga tomou posse como efetivo do TSE nesta quinta. Ele atua como ministro substituto no tribunal há quatro anos e foi nomeado pelo presidente Michel Temer para a cadeira de Henrique Neves, que deixou a Corte em abril. A fase de instrução do processo foi reaberta e encerrada ontem, após os depoimentos do ex-ministro Guido Mantega e do publicitário João Santana e sua mulher, Mônica Moura. Agora, as defesas de Dilma, Temer e o PSDB vão apresentar alegações finais. 
SETOR PÚBLICO – O setor público, formado pela União, Estados e municípios, registrou deficit primário de R$ 11 bilhões em março, o pior resultado para o mês desde 2001, quando começou a atual série histórica do Banco Central. No acumulado do ano, porém, o resultado é positivo em R$ 2,1 bilhões, uma melhora na comparação com o primeiro trimestre de 2016, quando houve um deficit de R$ 5,7 bilhões. Um dos setores que mais contribuíram para as contas terem fechado no vermelho em março foi a Previdência Social, que teve um rombo de R$ 13 bilhões no mês passado. No trimestre, o deficit do INSS já acumula R$ 40 bilhões.
LULA X PALOCCI – Em entrevista, Lula disse ter certeza absoluta de que o ex-ministro Antonio Palocci não fechará sua delação premiada. Caso celebre o acordo, o ex-presidente afirmou estar tranquilo do mesmo jeito: “Tenho certeza absoluta que o Palocci não vai fazer delação. Mas, se fizer e contar tudo que ele sabe, pode prejudicar muita gente, menos eu”. Lula também declarou que vai disputar a Presidência da República em 2018 e que não há risco de a sua candidatura ser impugnada, pois seus acusadores não têm nenhuma prova concreta e objetiva contra ele. 
LULA X MORO – Em reunião do comando nacional do PT, Lula se disse confiante e preparado para o depoimento que prestará no dia 10 de maio ao juiz Sérgio Moro. O ex-presidente afirmou que deseja que seu depoimento seja amplamente divulgado para evitar, segundo ele, “vazamentos seletivos”. 

SATÉLITES –
 A PF deflagrou a operação Satélites 2, desdobramento da Lava Jato, que mira pessoas relacionadas a políticos investigados no petrolão. Um dos alvos é o advogado Bruno Mendes, ex-assessor parlamentar do senador Renan Calheiros. O escritório de Mendes em Brasília sofreu busca e apreensão na manhã desta sexta. Ao todo, foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão em Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe, São Paulo e no DF. Não houve prisões.