Congressistas reagem às declarações dos procuradores da Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2016 07h17
Deputados aprovam na Câmara projeto de medidas de combate à corrupção sem anistia ao caixa dois - CMR

O Congresso reagiu às críticas de juizes, procuradores e promotores contra o artigo das medidas de combate à corrupção, que os responsabiliza por abuso de poder.

Logo depois da entrevista dos coordenadores da Operação Lava Jato, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, reuniu os líderes dos partidos e todos defenderam as prerrogativas do Congresso para votar qualquer assunto.

O deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) disse que os procuradores fizeram lobby no Congresso, cotaram Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e perderam. “Aceitaram um jogo e têm que aceitar o resultado”, disse.

Os líderes ficaram surpresos com a resistência dos procuradores.

O líder do PSDB, Antonio Imbassahy, alertou que o momento não é próprio para acirrar os ânimos: “tem que ser olhado com todo o cuidado. Aí é mais entendimento do que agravar com reações”.

Lucio Vieira Lima, deputado pelo PMDB, avaliou que os procuradores aceleraram a votação do projeto e devem respeitar as decisões do plenário. “Lógico que você tem interesse dos Poderes. O que é que faz você dialogar? Quando tem algum impasse”, disse.

Carlos Zaratini, deputado pelo PT, disse que o Congresso Nacional apenas decidiu um projeto que foi apresentado pelo Ministério Público.

O presidente da Câmara saiu em defesa dos deputados e alertou que a votação foi nominal, aberta e democrática.

*Informações do repórter José Maria Trindade