Coordenador do MBL afirma que grupos pró-Dilma querem intimidar manifestantes

  • Por Jovem Pan
  • 08/03/2016 09h57
Cartazes marcam manifestação na Av. Paulista; confira

 A Polícia Militar vai impedir a entrada de manifestantes a favor do governo na Avenida Paulista no domingo (13/03). O governo também já pediu à Federação Paulista que antecipe o clássico entre São Paulo e Palmeiras no Pacaembu para às 11h.

O secretário de segurança, Alexandre de Moraes, afirma a Anderson Costa que não é possível ter duas manifestações antagônicas no mesmo local e que a preferência será dada aos grupos pró-impeachment, que informaram a Secretaria com mais antecedência: “Não é permitido condicionalmente que dois grupos antagônicos se reúnam no mesmo local. O local da Paulista e adjacências será todo utilizado para os grupos que vão se manifestar pró-impeachment”.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, movimentos de esquerda, como o MST e a CUT, estão planejando se infiltrar nos protestos de domingo. O coordenador do Movimento Brasil Livre, Kim Kataguiri, diz a Victor La Regina, que esses grupos estão tentando intimidar os manifestantes: “Desde a primeira manifestação que a gente organizou nacionalmente no dia 15/03/15 a gente escuta esse tipo de ameaça, de intimidação. É muito mais para amedrontar a população, para que ela não vá às ruas. Os indicativos mostram que será a maior manifestação desde as que a gente organizou no ano passado”. Kim Kataguiri admite que os últimos acontecimentos tornarão a manifestação mais “séria” e “tensa”, mas ainda assim pacífica.

Com receio de confrontos, a presidente Dilma Rousseff fez uma reunião na segunda-feira (07/03) para discutir os protestos contrários e favoráveis ao governo.