CPI aprova condução coercitiva do maestro John Neschling

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2016 08h02
Maestro Joh NeschiligJohn Neschling - REP

CPI aprova condução coercitiva do maestro John Neschling. O diretor artístico da Fundação Teatro Municipal não compareceu para uma acareação com José Luiz Herencia, que é réu confesso no Ministério Público, do esquema que desviou R$ 15 milhões dos cofres públicos.

Herencia, ex-diretor da Fundação, voltou a acusar Neschling na Câmara de São Paulo.

“A Controladoria apontou em determinada circunstância a irregularidade no contrato da Fundação Theatro Municipal e do Instituto Brasileiro de Gestão Cultural com a empresa PMN e o relatório foi mudado após reunião que fizemos com a equipe da Controladoria. Existia um acordo tácito onde o maestro obtinha suas vantagens pessoais fora do país e nós obtinhamos no Brasil. Ele estabelecia nomes, valores, contratos e formas de pagamento. Não tem outro nome para isso que não ingerência”, disse.

Herencia afirma que o esquema envolvia o diretor-geral do Instituto Brasileiro de Gestão Cultural, William Nacked, a organização social responsável pela gestão do teatro. Nacked deve firmar uma delação premiada com os promotores e devolver R$ 3 milhões.

Os vereadores solicitaram à Polícia Federal a apreensão do passaporte do maestro John Neschling e ao IBGC o não pagamento do salário de R$ 150 mil, pago num contrato com a prefeitura de São Paulo.

*Informações do repórter Marcelo Mattos