Crise política prejudica andamento de reformas estruturais no Congresso

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2017 06h24

Nesta terça (6)

Céu nublado sobre o Congresso Nacional

As reformas constitucionais são as primeiras vítimas da crise política.

Os relatores da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA) e da reforma trabalhista, senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), admitem que não há clima para continuar as negociações da reforma.

O momento para reforma da Previdência é muito importante viu. É quando o processo está sendo discutido com a possibilidade de mudanças no texto.

Já no Senado, a reforma trabalhista também empaca. O relator Senador Ricardo Ferraço considera que a pauta agora mudou.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) diz que não há como votar reformas constitucionais no clima tão grave: “a gente acha que as reformas têm que parar a tramitação. Na reforma trabalhista já tivemos uma vitória. O senador Ricardo Ferraço disse que não tem condições de continuar a tramitação do projeto”.

É os próximos dias serão definitivos para o Governo Temer e para as reformas. Um balanço será feito nesta sexta-feira (19) pelo presidente que vai avaliar quem fica e quem sai do Governo.

 *Informações do repórter José Maria Trindade