De Olho no Preço: açúcar sobe 41%

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2015 15h06
açúcar

 Mesmo produzindo mais da metade do açúcar mundial, o Brasil não consegue frear a alta no preço do produto aqui, no mercado interno.

O preço do produto subiu 41% no mês de outubro e o aumento não passou despercebido pela população. Mesmo assim, o consumo continua crescendo, afinal, estamos falando de um produto que não dá para substituir. No máximo, as pessoas trocam por outras marcas que estejam com um preço mais atraente.

É recorrente que os absurdos sejam potencializados com essa alta. Em São Paulo, no mesmo bairro, é possível encontrar preços muito diferentes. O açúcar orgânico, que também sofre com a alta, é encontrado no Itaim Bibi a R$ 4,80 em um empório. Já a alguns quilômetros dali, na Marginal Pinheiros, um supermercado vende o mesmo produto, que pesa um quilo, pelo valor de R$ 2,90. Trata-se de uma diferença de 61%.

Quem sente também a alta são as docerias. A Cleusa Maria, que é dona da Sodiê Doces, lamenta que os reajustes já aconteceram duas vezes neste ano: “Nós já tivemos que fazer repasse pelo menos duas vezes, devido ao aumento da energia que teve um impacto muito forte no país. Agora, infelizmente, vamos ter que fazer mais um pequeno reajuste. Vamos tentar repassar o mínimo possível para o cliente. O país precisa passar por essa crise, cada um precisa fazer a sua parte”.

A alta ocorre porque, além do aumento na energia, as usinas estão produzindo mais álcool do que açúcar devido ao encarecimento da gasolina. E ainda com a alta do dólar, a oferta está menor do que nunca no Brasil. A única opção que resta ao comércio é aplicar o reajuste.