Defesa de Dilma no TSE pede anulação de depoimentos de marqueteiros

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2017 06h58
Cintia Reis/ Divulgação João Santana e Mônica Moura

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff no processo que julga a chapa da petista nas eleições de 2014 pediu para o TSE anular os depoimentos do marqueteiro João Santana e de Mônica Moura.

O casal prestou testemunho em abril a pedido da própria defesa de Dilma e afirmou que ela tinha conhecimento de que foi usado caixa dois durante a campanha.

Segundo Mônica Moura, ela foi chamada duas vezes pela então presidente, e em ambas se falou sobre a prática ilícita.

Nas alegações finais entregues nesta terça-feira (9), os advogados de Dilma Rousseff acusaram o casal de terem mentido nos depoimentos e pediram uma investigação para os dois por falso testemunho.

Com as argumentações finais das partes envolvidas já entregues ao relator do caso, ministro Herman Benjamin, a tendência é que o julgamento seja remarcado na semana que vem e retomado ainda no mês de maio.

O julgamento vai contar com dois ministros indicados pelo presidente Michel Temer. Um deles tomou posse nesta terça-feira (09): Tarcísio Vieira, que é subprocurador do Distrito Federal, e entra como representante da classe dos advogados no Tribunal. Ele substitui Luciana Lóssio, cujo mandato terminou na semana passada. O outro indicado é Admar Gonzaga, empossado no fim de abril.

*Informações do repórter Levy Guimarães