Deputado do PMDB diz que Dilma quer interferir na escolha de líder do partido

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2015 15h46
Brasília - O deputado federal, Lucio Vieira Lima, comenta o teor da carta que o vice-presidente da República, Michel Temer, enviou à presidenta Dilma Rousseff (Antonio Cruz/Agência Brasil)Lucio Vieira Lima

 PMDB convoca Executiva Nacional e discute a operação da Polícia Federal que colocou o partido no centro da operação Lava Jato.

O primeiro a reagir foi Eduardo Cunha, que considerou a ação da Polícia Federal não contra ele, mas contra o PMDB. Além do presidente da Câmara, dois ministros peemedebistas, senadores e deputados do PMDB foram alvo da busca e apreensão.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, chegou a ser incluído nessa relação, mas o Supremo negou. Para o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) o episódio pode aumentar a resistência do PMDB ao governo: “Eu acho que é um fato que pode sim vir a estimular essa união e estimular esse desembarque. O que está hoje peremptoriamente, conduzindo a um eventual desembarque é o fato da presidente estar tentando interferir no processo interno do partido que é a escolha do seu líder”.

A antecipação da convenção marcada para março não chega a ser um consenso no PMDB, mas uma parte importante do partido faz a defesa do encontro para discutir o afastamento definitivo do governo. O presidente do PMDB e vice-presidente Michel Temer faz um esforço para que o PMDB seja majoritário na defesa do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Informações do correspondente da Jovem Pan em Brasília José Maria Trindade