Desembargador sugere que imprensa é financiada pelo crime organizado

  • Por Jovem Pan
  • 05/10/2016 06h39
Ivan Sartori - REP

Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo sugere que imprensa é financiada por dinheiro do crime organizado. Ivan Sartori, que votou pela anulação de cinco júris do “Massacre do Carandiru” e ainda pediu a absolvição de 74 policiais militares condenados pelos assassinatos de 77 detentos encontrados mortos, gerou nova polêmica em sua página do Facebook.

Ele sugeriu que parte da imprensa que acompanhou o julgamento recebeu certo montante do crime organizado. Confira a postagem abaixo:

Rafael Custódio, advogado e coordenador do programa de justiça da ONG Conectas Direitos Humanos, acredita que após a queda do julgamento do Carandiru, esse é mais um episódio onde o Tribunal de Justiça se distancia da realidade.

“A impressão que tenho é que o grau de fantasia, imaginação, que leva o desembargador Ivan Sartori a alegar legítima defesa dos policiais no caso do Carandiru é o mesmo grau de fantasia que o leva a dizer que a imprensa é financiada pelo crime organizado. É absolutamente lamentável e muito triste ver um desembargador dessa envergadura dizer algo neste sentido”, disse.

Por meio de nota, o TJ de São Paulo declarou que não cabe ao Tribunal o pronunciamento sobre o contexto expressado pelo desembargador Ivan Sartori.

A reportagem da Jovem Pan solicitou entrevista com o magistrado, porém segundo a assessoria do Tribunal, ele é impedido pela Lei Orgânica da Magistratura Nacional de se manifestar em meios de comunicação.

*Informações do repórter Felipe Palma