Desempenho de alunos no ensino básico melhora, indica pesquisa

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2016 12h49
Sala de aula

 O Brasil ainda enfrenta dificuldades no ensino básico, especialmente em matemática, mas a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico vê avanços importantes no país. A OCDE divulgou uma pesquisa avaliando a desenvoltura de alunos de baixo rendimento no mundo, que mostra que caiu 18% o número de estudantes brasileiros na faixa de 15 anos que não tinham nível de conhecimentos básicos em matemática.

O analista da OCDE, Alfonso Echazarra, afirma que o progresso do Brasil nos indicadores foi igual ao de poucos países avaliados da mesma forma: “Quero lembrar que apenas dois ou três países melhoraram mais do que o Brasil entre os 40 que participam da avaliação desde 2002 até 2012, que é o último dado disponível. Só o México, a Turquia e poucos mais. Há uma melhora de nível econômico no Brasil refletida nas escolas”.

Apesar da melhora, o Brasil ficou apenas na posição 58 entre 65 países e territórios analisados, atrás de Albânia e Costa Rica. A superintendente da ONG Todos Pela Educação, Alejandra Velasco, afirma a Tiago Muniz que o Brasil ainda precisa avançar muito: “O financiamento sem dúvida é um fator importante, o equivalente aos países da OCDE, mas quando a gente observa o número per capita ainda vemos uma necessidade muito grande de investimento para se equiparar a esses países”.

O Brasil somou 391 pontos em matemática, de acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA). A média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico é de 494 pontos.