Despesas de começo de ano merecem atenção de quem tem recursos limitados

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2016 12h04
dinheiro

 Momento econômico conturbado e baixa organização contábil dos brasileiros podem dificultar ainda mais o pagamento das contas típicas de janeiro. O começo do ano é sinônimo de IPVA, IPTU, material escolar e matrícula, além da fatura do cartão de crédito com as compras do Natal.

E a pressão inflacionária e a alta dos juros para o Brasil retomar o crescimento se transformam em novos complicadores deste cenário.

Diante da situação, o presidente da Associação brasileira dos Educadores financeiros recomenda uma autoavaliação sincera por parte dos contribuintes. Reinaldo Domingos identifica quatro momentos distintos: inadimplentes, endividados que pagam em dia, equilibrados e com sobras em caixa. O especialista propõe a cada segmento o ato mais sensato para melhorar a situação ou aproveitar a condição favorável para multiplicar os recursos: “É importante ressaltar que, se você tiver só dinheiro para pagar o IPVA à vista e ficar sem nenhum recurso, eu aconselho você a não quitar o IPVA, dividir ele em três parcelas e ficar com recursos financeiros”.

As privações sentidas diariamente pelos trabalhadores brasileiros apareceram na manifestação dos ouvintes durante a entrevista com Reinaldo Domingos. Os relatos e as dúvidas foram permeados de preocupação com o futuro e com pessimismo sobre uma melhora conjuntural no médio e curto prazo.

O educador financeiro Reinaldo Domingos também sugere que o usuário fique atento a prazos e taxas antes de usar o cartão de crédito ou o cheque especial. Tudo para evitar que parcelamentos ou tomada de empréstimos comprometam ainda mais o já defasado orçamento.