Destino de indígenas venezuelanos, Manaus decreta situação de emergência

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2017 09h01
AM - INDÍGENAS/VENEZUELA/MANAUS - GERAL - Grupo de aproximadamente 30 índios da etnia Warao, provenientes da Venezuela, permanecem acampados debaixo do Viaduto de Flores, próximo à rodoviária de Manaus, na região Centro-Sul, nesta segunda-feira, 8. Os indígenas começaram a cruzar a fronteira e se estabelecer no Brasil desde 2014, quando a crise política e econômica na Venezuela se agravou, provocando a falta de gêneros alimentícios, de higiene pessoal, remédios, atendimento de saúde e energia para a população. 08/05/2017 - Foto: DANILO MELLO/FOTO AMAZONAS/ESTADÃO CONTEÚDOGrupo de aproximadamente 30 índios da etnia Warao

A crise econômica, a repressão e a falta de alimentos na Venezuela fazem com que muitos indígenas nativos do norte do país procurem por dias melhores no Brasil. De um mês para cá, 37 pessoas morreram em manifestações contra o governo Maduro, 717 ficaram feridas e 152 estão presas.

Para fugir desse cenário, 400 índios da etnia Warao chegam a Manaus todos os dias, desde dezembro do ano passado. Seus lares: debaixo de um viaduto e na Rodoviária da cidade.

A maioria vive de artesanato, mas o que chama a atenção é que metade são crianças e adolescentes, que saem pedindo esmolas na rua.

O secretário municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos, Elias Emanuel questionou a facilidade com que os índios venezuelanos têm em passar a fronteira: “a facilidade de entrada nas fronteiras lá em Pacaraima”.

Elias Emanuel ainda que o importante é conseguir regularizar a situação dos indígenas em solo brasileiro: “nós queremos fazer um estudo de caso com os indígenas, se eles pretendem se radicalizar na cidade de Manaus. Para isso eles têm que ter a regularização documental”.

Outra preocupação do secretário é com a saúde publica e a disseminação de doenças como catapora, tuberculose e pneumonia.

*Informações do repórter Victor Moraes