Devolução de cheques entre janeiro e julho atinge maior patamar desde 2009

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2016 08h35
Cheque

Percentual de cheques devolvidos entre janeiro e julho de 2016 atinge maior patamar desde 2009. De acordo com levantamento da Boa Vista SCPC, a taxa acumulada nos primeiros sete meses do ano chegou a 2,34%.

No mesmo período do ano passado, o índice de devoluções era de 2,16%, sobre o total de cheques movimentados.

O economista Flávio Calife destacou que a recuperação do consumidor que fica inadimplente nesta modalidade de pagamento é mais demorada e trabalhosa. “A desvantagem do cheque é que para você regularizar uma pendência, você tem que buscá-lo, trocá-lo. às vezes é mais burocrático do que um registro direto no banco de dados”, disse.

Calife lembrou ainda que o alto índice de devoluções de cheques é mais um sintoma do aumento da inadimplência. Segundo ele, o percentual deve permanecer estável até o final deste ano e só deve ser reduzido a partir de 2017, quando o consumidor colocar as contas em dia.

*Informações do repórter Victor Brown