Carnaval de rua em São Paulo pode acontecer em julho, revela prefeito Ricardo Nunes

Político participou do programa ‘Direto ao Ponto’ desta segunda-feira, 11, e falou sobre problemas e projetos para a cidade

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2022 23h01 - Atualizado em 11/04/2022 23h09
Reprodução/ Youtube ricardo nunes Prefeito Ricardo Nunes está a frente da capital há um ano

O prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes, participou do programa ‘Direto ao Ponto‘ desta segunda-feira, 11, e comentou sobre alguns pontos de sua gestão. Perguntado sobre que nota daria para seu trabalho no último ano como prefeito (assumiu após a morte de Bruno Covas em maio 2021), Nunes se deu nota 5 (de 0 a 10) porque acha que ‘sempre precisa melhorar’. “Eu me sinto vocacionado para a vida pública. Sempre gostei da política, minha vida me mostrou que eu deveria ter uma ação na classe política”, disse no início do debate. O prefeito explicou a polêmica mais recente: o cancelamento ou não do carnaval de rua. “No ano passado tínhamos previsto que ia acontecer o carnaval de rua. Aí entra a ômicron e a vigilância pediu para cancelar. Os blocos mesmo me disseram que não iriam participar esse anos. Hoje estamos em uma situação muito positiva [da Covid] e vem blocos dizendo que querem ir pra rua. O problema é que não temos tempo para organizar isso até dia 21 de abril. Se vem 1 milhão a Polícia Militar já falou que não consegue colocar policiais suficientes, não vamos conseguir colocar ambulância porque não tem tempo hábil. Estamos tentando convencê-los de fazer mais pra frente, talvez em julho”, explicou.

Pauta em todas as conversas sobre a capital, a Cracolândia também foi debatida. “Estamos ampliando o acolhimento as pessoas em situação de rua. Na Helvétia, na praça do cachimbo, tínhamos uma situação de décadas. Ali era um local coberto de tendas, dobrei o número de GCM e só entrava naquele espaço quando era feito a revista. Tiramos as tendas e com as câmeras identificamos vários traficantes. Eles sentiram o baque e mudaram para a praça Princesa Isabel. Os trabalhos continuam e eu não vou ceder um milímetro no combate a Cracolândia”, comentou. Para quem anda de carro pelas ruas da capital, é fácil encontrar um buraco na via e, várias vezes, também nas calçadas. Sobre isso, o prefeito também explicou os avanços. “Tem buracos que são provenientes da qualidade do asfalto e temos buracos que são provenientes das concessionárias de luz, água e etc. Infelizmente a Sabesp demos mais de R$ 10 milhões de multa. A grande maioria são buracos da Sabesp. Os provenientes da Prefeitura, o Bruno Covas fez um projeto de recapeamento de R$ 500 milhões, agora vamos fazer de R$ 1 bilhão. Porque precisa fazer esse investimento alto? Temos muitas regiões que têm asfaltos velhos e não dá pra tapar, precisa trocar toda a massa. Mas tem muita coisa a ser feita”, admitiu.

Apoio do MDB a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva

Ricardo Nunes também comentou sobre o possível apoio de seu partido, o MDB, a candidatura do ex-presidente Lula para as eleições presidenciais. “Meu partido é muito grande e tem uma série de blocos que pensam diferente. Acho que poderíamos ser mais solidários com a nossa candidata, Simone Tebet, mas dialogar com as pessoas faz parte. Eu trabalho na direção que temos uma candidatura própria e precisamos nos reencontrar com a nossas raízes “, afirmou. “O MDB não vai decidir por apoiar o presidente Lula, isso você pode ter certeza”, completou.

Assista ao programa com o prefeito Ricardo Nunes: