Doria diz que sua candidatura pode ser avaliada, mas é algo distante: “Alckmin é o candidato natural”

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2017 09h44
USA - DORIA/ALCKMIN/NY - POLÍTICA - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, acompanhados de suas respectivas esposas, durante evento em Nova York (EUA, nesta terça-feira, 16. 16/05/2017 - Foto: CLÁUDIA TREVISAN/ESTADÃO CONTEÚDO CLÁUDIA TREVISAN/ESTADÃO CONTEÚDO Doria

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o prefeito de São Paulo, João Doria, negou que tenha qualquer tipo de desavença com o governador Geraldo Alckmin relacionada a uma eventual candidatura à Presidência no ano que vem.

“Não há nada que possa macular minha relação com o governador. Somos amigos, temos relação boa. Da minha parte e da dele não há a menor hipótese de algum tipo de atrito”, disse.

Sobre a disputa interna, o prefeito afirmou que “naturalmente, Alckmin é o candidato do PSDB”, pórem, questionado o que faria caso o governador se retirasse das prévias, ele admitiu a possbilidade de se candidatar. “Não quero ser afirmativo, até porque tem tempo até 2018″, disse. “Mas, embora distante, essa alternativa é algo que pode ser avaliado sim”. 

Doria disse ainda valorizar as prévias nacionais dentro do PSDB para a escolha do candidato à presidência da República em 2018. “É um processo engrandecedor. Se não houvesse prévia em SP, não estaria aqui hoje na condição de prefeito eleito”.

Viagens ao exterior

Defendendo-se de críticas de que está deixando a Prefeitura para viagens ao exterior, Doria disse que continuará fazendo as viagens e disse que São Paulo “é a cidade do mundo”

O tucano aproveitou ainda para alfinetar o PT: “a diferença é que eu viajo a trabalho. A turma do PT viaja a lazer. E quem paga as minhas passagens sou eu, isso quando não uso meu próprio avião. Pago minhas passagens, hospedagem. Estamos viajando e vamos continuar viajando para buscar investidores para a cidade de São Paulo”.

Doria ainda justificou suas viagens para conseguir apoio privado para obras em São Paulo, como na parte de zeladoria. “Temos responsabilidade fiscal e eficiência de gestão e nem por isso devemos ficar falando que é só em 2018. Vamos conceder e sugerindo pessoas entidades e empresas que patrocinem”, disse.

Confira a entrevista completa: