Duque e Vaccari ficam em silêncio durante depoimento a Moro

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2017 08h33
João Vaccari Neto

O juiz federal Sérgio Moro retomou nesta segunda-feira (17) as audiências da ação penal da Lava Jato que envolve o ex-ministro Antonio Palocci.

O processo apura se ele recebeu propina para atuar em favor da Odebrecht, entre 2006 e 2013, interferindo em decisões tomadas pelo Governo federal.

Um dos convocados para prestar depoimento foi o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Questionado pelo juiz Sérgio Moro, Vaccari decidiu permanecer em silêncio.

O ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, também foi intimado e, assim como Vaccari, decidiu não responder às perguntas.

Tanto o ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, como o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, estão presos no Paraná.

Além de Duque e Vaccari, o juiz Sérgio Moro também ouviu os irmãos Marcelo Rodrigues e Olívio Rodrigues Júnior.

Os dois trabalhavam como executivos da Odebrecht e fecharam acordos de delação premiada.

Olívio confirmou que controlava as contas utilizadas no departamento de operações estruturadas da empresa, mas disse que nunca soube os nomes dos políticos beneficiados com o dinheiro.

O executivo Olívio Rodrigues Junior foi preso em março do ano passado no âmbito da Lava-Jato, mas já está solto.

Nesta terça-feira, o publicitário João Santana e a esposa dele, Mônica Moura, também prestarão depoimentos.

Já o ex-ministro Antonio Palocci será o último a ser interrogado no processo. Ele será ouvido pelo juiz Sérgio Moro na quinta-feira (20).

Confira a reportagem completa de Vitor Brown: