“É demasiado falar em golpe”, diz Gilmar Mendes sobre processo de impeachment

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2016 06h42
O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, participa de sessão temática sobre reforma política, no Senado (Antonio Cruz/Agência Brasil)Ministro do TSE e do STF Gilmar Mendes

O ministro do Supremo Tribunal Federal garantiu que está sendo dado a presidente afastada Dilma Rousseff o direito de defesa no julgamento final no Senado.

Gilmar Mendes não acredita em golpe, palavra usada pelos opositores ao impechment, devido a supervisão das instâncias competentes, o que, segundo ele, invalida a tese.

“Tenho a impressão de que isto é um jogo de retórica. Ninguém falou em golpe, a não ser o próprio Collor em seu impeachment. Não me parece que, com tanta supervisão, por parte do Congresso, Supremo acabou por regular tudo isso, o julgamento é presidido pelo presidente do STF… É demasiado falar em golpe”, disse.

Para o ministro do STF, o julgamento do impeachment de Dilma, mostra que as instituições estão funcionando, o que identificou como “democracia consolidada”.

“Isso dá um sinal de vitalidade da nossa democracia. É claro que se esse ciclo, com o impeachment e com tudo que foi revelado mostra que estamos encerrando um ciclo de maneira bem melancólica, bastante depressiva. temos que tirar um grande aprendizado de tudo o que aconteceu”.

Questionado sobre qual seria o melhor rumo para o País, Gilmar Mendes afirmou ser importante que a questão se defina, pois a indefinição custa muito ao Brasil.

O ministro classificou ainda o impeachment como um processo doloroso, constrangedor e às vezes vexatório.

*Informações do repórter Felipe Palma