Editorial – AVISEI! Sem fingir surpresa, sim? Ou: Pesquisas e lados bom e mau

  • Por Reinaldo Azevedo/ Jovem Pan
  • 12/12/2016 15h46
datafolha_111211.jpg

Vivemos realmente dias interessantes, pois não?

Há uma reação um tanto assustada e espantada nos setores mais agudamente antipetistas e antilulistas às pesquisas publicadas pelo Datafolha. Tanto quanto os sites e blogs alinhados implícita ou explicitamente à esquerda estão em festa.

Bem, meus caros, eu vinha alertando precisamente para isso, não é? O arquivo do blog está à disposição de todos.

Eu ainda não entendi qual é a dificuldade que temos de combater os que violaram as leis seguindo as leis. Será que é pedir muito?

Não lhes parecia óbvio — a mim, sempre pareceu — que não se deve confundir o combate à corrupção com o combate às instituições? Quando se dispara um mecanismo de desmoralização da política, qualquer que seja ela, como esse que está em curso, o que se faz é igualar a todos na lama.

Ora, um critério que diga que todos são iguais e que a todos condena  leva a uma única consequência. Qual? Vamos pensar um pouco? Não há nenhuma diferença entre dizer “Todos são culpados” e “Todos são inocentes”. Alguém tem alguma dúvida a respeito.

Os setores mais histéricos das redes sociais tomaram um susto. Viram que a pregação em curso e o sistemático desrespeito a qualquer parâmetro institucional só interessam às esquerdas. E agora?

Sim, a pesquisa indicando que Lula está de volta ao jogo eleitoral — se não estiver na cadeia — e que a população quer eleições diretas agora (justamente quando Lula ainda não está na cadeia) fez com que alguns malucos botassem o pé no freio. Não deixa de dar a sua contribuição à estabilidade.

Mas é claro que esses dados  trarão também consequências deletérias. A partir de agora, uma reforma da Previdência que seja minimamente digna vai se mostrando impossível. E também não é preciso ser bidu para isso.

Ora, se as esquerdas que se colavam, já hoje, contra a reforma e contra a PEC do Teto liderariam uma disputa eleitoral; se Lula aparece na ponta em todos os cenários e se Marina Silva a todos venceria no segundo turno; e se assim é mesmo sem a esquerda mobilizada, nas ruas, falando em nome dos velhinhos e dos “direitos”, como será depois?

Alguém realmente acha que os políticos genuinamente conservadores e aquela turma do dito “centrão” vão querer dar murro em ponta de faca?

O quadro, para mim, não traz nada de surpreendente. Ao contrário! Está acontecendo tudo conforme previ, tudo conforme vaticinei. E sei o quanto apanhei esses tempos em razão disso. Outro dia, uma senhora me perguntou por que eu estava “defendendo o PT”… Acreditem! Não! EU ESTAVA ACUSANDO JUSTAMENTE OS QUE ESTAVAM TRAZENDO O PT DE VOLTA AO JOGO. Eis aí.

No sábado, antes das pesquisas, escrevi aqui: “Quando até uma decisão certa de um tribunal — como foi a derrubada da liminar ilegal de Marco Aurélio — é vista como uma manobra escusa, estamos diante de um sinal de que o combate à corrupção está virando uma espécie de doença autoimune: os mecanismos de defesa estão atacando o próprio organismo. Já não se distingue o funcionamento normal do sistema de elementos patogênicos”.

À polícia ou que é da polícia!

À política o que é da política!

E todos cumprindo seus deveres institucionais, nos limites do que exigem as leis.

É grande a chance de o resultado ser bom!

O verdadeiro conservadorismo, que é o que preserva instituições, tem muito a ensinar aos apressadinhos. Todo porra-louca de esquerda serve aos propósitos da direita. Todo porra-louca de direita serve aos propósitos da esquerda.

E todos os burros, finalmente, servem aos propósitos dos oportunistas e bucaneiros, que estão lucrando com a bagunça.