Editorial – REAGE PARANÁ – Morre um jovem em escola invadida do Estado

  • Por Reinaldo Azevedo/Jovem Pan
  • 24/10/2016 14h19

Um jovem morreu num dos estabelecimentos de ensino invadidos do Paraná, a Escola Santa Felicidade, de Curitiba. As fotos deste post estão publicadas na página eletrônica da Massa News. Foi vítima, segundo as informações iniciais, de um objeto cortante e perfurante, provavelmente uma faca (ver imagem). Teria 16 anos. Ainda não se sabe a autoria nem se conhecem as circunstâncias.

Quem são os responsáveis? Na hipótese muito provável de que tenha sido um homicídio, o culpado, do ponto de vista penal, é o assassino. Do ponto de vista moral, os responsáveis são os invasores e todos os órgãos oficiais e não oficiais que se omitiram ao longo desse tempo.

O Movimento Ocupa Paraná responde moralmente por essa morte.
O sindicato da rede estadual de professores responde moralmente por essa morte.
O PT responde moralmente por essa morte.
Os partidos de extrema esquerda que apoiam a invasão respondem moralmente por essa morte.
A imprensa paranaense, com raras exceções, subserviente aos invasores, responde moralmente por essa morte.
O omisso Ministério Público Federal responde moralmente por essa morte.
Os conselhos tutelares do Paraná, os que não se mobilizaram contra as invasões, respondem moralmente por essa morte.

Até quando minorias de extremistas de esquerda continuarão a tiranizar as maiorias?

É preciso que a Secretaria de Segurança Pública inicie rigorosa investigação para responsabilizar criminalmente os maiores de idade que estão nas invasões e quem nem mesmo estudantes são.

Quem tem de se mobilizar?

É a sociedade civil do Paraná.

Essa gente estava em busca de cadáveres faz tempo. Torcia para que a polícia invadisse as escolas para fazer um morto. Não aconteceu. A morte veio. Mas pelas mãos dos que que estavam na invasão.

E agora?

O chão sujo de sangue é o retrato das escolhas feitas pelos comunistas do Paraná.