Em 3 meses, emprego formal perde 226 mil vagas, enquanto informal tem crescimento

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2016 10h17
Marcello Casal Jr/ABr carteira de trabalho

Um levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) com dados do IBGE mostrou que foram cortadas 226 mil vagas com carteira assinada e 259 mil pessoas deixaram de trabalhar por conta própria entre o primeiro e o segundo trimestre deste ano.

Já o lado informal, houve um crescimento de 668 mil vagas no mesmo período. Mesmo que remunerem cerca de 40% menos.

Marcelo ficou sete meses desempregado no mercado informal e agora conseguiu uma vaga como auxiliar de limpeza, conforme mostrou o repórter Fernando Martins no Jornal da Manhã.

O emprego formal cai e centros de apoio ao trabalho veem o movimento também ser menor, restando apenas aqueles que insistem na procura de uma vaga.

Segundo o levantamento, o setor com maior aumento de informalidade foi o da construção civil. Neste, o número de vagas com carteira assinada caiu 4,16% do primeiro para o segundo trimestre. Já as vagas informais cresceram 10,7%.

Confira a reportagem completa de Fernando Martins: