Em Seul, Doria busca exemplos para modernizar SP e nega pretensão para 2018

  • Por Jovem Pan
  • 14/04/2017 13h14
Daniel Lian/Jovem Pan Doria

Em visita oficial em Seul, na Coreia do Sul, o prefeito de São Paulo, João Doria, firmou acordos importantes para a cidade e analisou perspectivas para a capital com base em exemplos sul-coreanos.

Um dos exemplos é o da mobilidade. “Seul é exemplo de mobilidade urbana, tem um sistema de trânsito eficiente, controle digital 24 horas por dia. São referências para o Brasil. Ônibus sem catraca, sem cobradores, embarque rápido, ar condicionado, wi-fi”, disse o prefeito, que reforçou ainda que a frota de ônibus em São Paulo terá, até 2020, acessibilidade, wi-fi e ar condicionado.

Na Coreia do Sul, o “bilhete único” também serve para táxis e aplicativos de transporte – o tucano quer levar a ideia ao Brasil.

“O potencial é maior. Lições de tecnologia e aplicativos que desejamos levar ao Brasil com financiamento coreano de empresas que queiram aplicar essa tecnologia no Brasil”, disse com exclusividade ao repórter Daniel Lian, que acompanha a comitiva brasileira no país asiático.

Candidatura

Questionado se concorreria à Presidência da República ou ao governo do Estado nas eleições do ano que vem, Doria negou: “nem uma e nem outra”.

“O que eu faço é prefeitar, como estamos fazendo em Seul, buscando modernidade e financiamento para programas da cidade. Não tenho a pretensão e nem o desejo [de candidatar-se em 2018]. O que me cabe é prefeitar, ser um bom prefeito, ser correto, ser honesto, eficiente e transformador à frente da Prefeitura”, disse.

Segundo o tucano, “o futuro a Deus pertence”. Sem “descartar ou encartar”, Doria repete: “fui eleito prefeito e é o que tenho feito”.

Confira a entrevista completa:

Embaixador Luís Fernando Serra

Também em entrevista ao repórter Daniel Lian, direto da Coreia do Sul, o embaixador do Brasil na Coreia do Sul, Luís Fernando Serra, negou que os desdobramentos da Operação Carne Fraca da Polícia Federal tenham prejudicado as exportações das carnes brasileiras ao país asiático.

“A única carne importada pela Coreia do Sul é a de aves. Houve sanções imediatamente levantadas 24h depois e o consumo continua muito bom. Na carne suína, estamos avançando. Em maio teremos uma comissão técnica da Coreia em Santa Catarina para inspecionar os matadouros de exportadores da carne suína daquele Estado”, explicou.

Para o embaixador, a impressão é de que a confiança do consumidor não foi afetada pela Carne Fraca.

Confira a entrevista completa: