Empresas tentam se proteger da falência e pedidos de recuperação crescem 57%

  • Por Jovem Pan
  • 08/02/2016 11h20
Pen and bank statementconta dinheiro ponta do lápis

 Uma pesquisa da Boa Vista SCPC informou que pedidos de recuperação judicial cresceram quase 57% em doze meses. A crise econômica obrigou empresas de todos os portes a se protegerem da falência, que também está em alta. Especialistas consideram a recuperação judicial como uma espécie de favor legal para quem está no vermelho.

Em entrevista a Denise Campos de Toledo, o economista da Boa Vista SCPC, Nonato Catani, aponta um dos fatores de aperto para as empresas: “As linhas de crédito livre, que representam basicamente aquelas linhas direcionadas para a recuperação de caixa das empresas, encerram 2015 em termos reais negativos, próximos a 10%. Então 2015 foi um ano muito ruim para as empresas”.

Já o advogado Manoel Antônio Angulo Lopes defende a recuperação judicial como instrumento eficaz para dificuldades momentâneas, já que protege a função social das empresas de um lado e dos credores de outro: “Ela pode se reestruturar, evitando um mal maior, ou seja, a falência, que causará um prejuízo à entidade credora além de deixar de cumprir sua função social, que é a geração de empregos e tributos através das suas atividades”. Lopes acrescenta que a empresa deve apresentar um plano de recuperação para os credores e, se a situação se agravar, poderá ser convocada uma nova assembleia de credores que resulte em mais prazo à devedora.