Escolas têm dificuldade para preparar alunos para provas multidisciplinares como o ENEM

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2015 17h08
usp

O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, é uma prova em formato multidisciplinar, que associa duas ou mais matérias em uma mesma questão e as relaciona com temas do cotidiano. Mas o que deveria facilitar a compreensão, com exemplos práticos, acaba provocando o efeito oposto, já que muitas escolas não conseguem preparar os alunos para enfrentar a prova. Apesar dos elogios ao exame, especialistas entendem que os alunos não estudam na sala de aula de forma multidisciplinar.

O professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Paulo Silvino, afirma que ainda é difícil aplicar esse novo modelo: “Alguns professores ainda reproduzem o modelo preocupado em apresentar conteúdo e não necessariamente relacioná-lo com o dia a dia do aluno. Temos que ter um instrumental teórico para, a partir dele, fazer uma análise sobre a realidade”.

Se por um lado existe a cobrança para que, na sala de aula, os professores iniciem um trabalho interdisciplinar, do outro, há deficiência na formação. A educadora da PUC, Maria Estela Graciani, diz que os professores também não são preparados para ensinar dentro do novo modelo: “A transdisciplinaridade, a intertextualidade e a multidisciplinaridade dentro da universidade não é uma realidade”.

Os especialistas entendem que o grande trunfo do ENEM frente a outros vestibulares é justamente a interdisciplinaridade. Por isso, o aluno precisa estar preparado para assuntos em sala de aula e também para temas do cotidiano que serão cobrados na prova.

O Exame Nacional do Ensino Médio será realizado nos dias 24 e 25 de outubro. Os candidatos já podem consultar o local de prova pelo site enem.inep.gov.br/participante