São Paulo planeja vender Rodrigo Caio e Cueva para “pagar” contratações

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2018 15h12
Montagem sobre fotos/Estadão ConteúdoRodrigo Caio e Christian Cueva devem deixar o São Paulo no meio do ano, após a Copa do Mundo

Por Diego Souza, 32 anos, R$ 10 milhões. Por Everton, 29, R$ 15 milhões. As duas maiores contratações do São Paulo para 2018 têm algo em comum: fizeram o clube ignorar a questão financeira e visar apenas ao retorno esportivo. É improvável imaginar que o Tricolor vá recuperar os R$ 25 milhões investidos nos dois jogadores com futuras negociações.  

Assim, não restam outras alternativas ao São Paulo a não ser vender outros atletas para “pagar” as contas e fechar o ano no azul. E esses atletas, de acordo com informações do repórter Marcio Spimpolo, da Rádio Jovem Pan, têm nome e sobrenome. 

“O São Paulo sabe que precisa vender dois jogadores. E esses jogadores são Rodrigo Caio e Christian Cueva”, informou Spimpolo, no Esporte em Discussão desta terça-feira. “O São Paulo tem tudo no papel… Já sabe que, com eles, vai entrar uma grana. Espera equacionar as contas assim”, acrescentou.

A expectativa da diretoria tricolor é a de que ambos sejam convocados para a Copa do Mundo e voltem do torneio valorizados. Em fevereiro, o São Paulo recusou uma proposta chinesa de R$ 48 milhões pelo peruano. No mesmo mês, viu a Real Sociedad-ESP sinalizar positivamente para a possibilidade de desembolsar mais de R$ 70 milhões pelo defensor.

Ofertas desse nível são esperadas na janela do meio do ano, a principal do futebol europeu. 

“O São Paulo não está pensando em vender o Everton futuramente para recuperar a grana (da compra dele junto ao Flamengo)”, explicou Spimpolo. “O São Paulo sabe que não vai recuperar esse dinheiro com o Everton. O São Paulo quer o retorno técnico, como queria com o Diego Souza. Com o Diego, ainda não deu certo. A expectativa é de que, com o Everton, dê…  Senão, vai fechar o ano no vermelho.” 

Até o momento, o São Paulo arrecadou mais de R$ 46 milhões brutos com a venda de jogadores em 2018. O objetivo, no entanto, é superar os R$ 100 milhões até dezembro.