Estagnação econômica é visível e não podemos esconder, diz presidente do IBGE

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2016 10h28
Dinheiro Bolso - Fotos Públicas

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o economista e presidente do IBGE, Paulo Rabelo de Castro, afirmou que o risco de estagnação econômica no País é visível e não há razão para que a área econômica esconda tais fatos da sociedade.

“Se nós nos basearmos na ideia de que em 2017 tudo estará pronto para uma forte retomada, estaremos nos enganando como Governo ou enganando o público. Ou ambos. Temos que ter a ideia de que as medidas tomadas são para começar a dar o primeiro grande passo para uma rearrumação nacional”, disse.

No comando do IBGE na gestão do Governo de Michel Temer, o economista garantiu que tem “empenho e satisfação” em participar do esforço do Governo em “arrumar a casa”.

Para Paulo Rabelo Castro, ainda estamos nos primeiros passos de uma refundação. “Não temos que entregar o jogo que nem começou. Há tempo para reversão e tem que ser feita com o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles”, explicou.

Sobre a polêmica de uma pressão para tirar Meirelles do Governo, o presidente do IBGE criticou: “esse negócio de ficar tirando e colocando ministro como quem troca de camisa é prova da nossa absoluta incapacidade de planejar e oferecer uma agenda concatenada e suficientemente extensa ao público”.

Segundo Castro, a Lei de Responsabilidade Fiscal, em seu artigo 67, propõe um conselho de gestão fiscal para assessorar a administração pública. “Se o Governo desse um ‘peteleco’ e mandasse votar em caráter terminativo nós já teríamos esse conselho”, disse.

Confira a entrevista completa: