Estudante acusado de matar mãe teve surto psicótico, revela delegado

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2016 07h13
Felipe Farina Garcia é acusado de matar mãe - REP

Estudante acusado de matar brutalmente a mãe, teve surto psicótico, revelou o delegado responsável pelo caso. Felipe Farina Garcia, de 25 anos, era usuário de drogas.

Testemunhas relataram à Polícia Civil, que o jovem andava paranoico com questões religiosas.

O delegado Titular do 43º DP, José Ademar da Silva, relatou o momento do assassinato: “ele praticamente teve um surto, acabou saindo do apartamento onde mora, no 7º andar, correndo atrás da mãe, agrdindo. Ela acabou caindo no 6º andar, onde ele, com faca, acabou matando-a com vários cortes”.

O crime aconteceu terça-feira (23) em uma travessa da Avenida Yervant Kissajikian, Vila Inglesa, Zona Sul da capital. Segundo depoimentos dos vizinhos, Suely Guerra Farina, de 59 anos, e o filho viviam sozinhos e possuíam um histórico de brigas.

Além de matar a mãe, o instrutor de academia também feriu outras duas pessoas que tentaram socorrê-la.

O delegado confirmou que Felipe Farina Garcia fazia uso de medicamentos para depressão. “Na segunda-feira, o pai teria entrado em contato que queria pegá-lo para interná-lo. Talvez ele tenha percebido que o filho estava com algum problema. Teria a mãe dito para deixar para quarta-feira ou quinta, porque eles teriam que resolver um problema antes. E, infelizmente, na terça-feira aconteceu essa catástrofe”, contou.

Felipe Farina Garcia vai responder por homicídio e outras duas tentativas, além por posse de entorpecentes. Após passar, nesta quarta-feira (24), por audiência de custódia, seguiu para o presídio de Diadema, na grande São Paulo.

*Informações do repórter Felipe Palma